Policiamento quase 24 horas: como os novos PMs devem mudar a rotina das menores cidades da Serra - Polícia - Pioneiro

Versão mobile

 
 

Reforço26/07/2019 | 19h06Atualizada em 26/07/2019 | 19h06

Policiamento quase 24 horas: como os novos PMs devem mudar a rotina das menores cidades da Serra

Distribuição dos 2 mil alunos-soldados garante cinco brigadianos para 15 municípios da região

Policiamento quase 24 horas: como os novos PMs devem mudar a rotina das menores cidades da Serra Antonio Valiente/Agencia RBS
Foto: Antonio Valiente / Agencia RBS

Ainda que não garanta um policiamento 24 horas, a determinação de um efetivo mínimo de cinco brigadianos mudará a rotina de 153 municípios gaúchos. Na Serra, são 15 cidades que possuem quatro ou menos policiais militares. Para atender às demandas da comunidade, a Brigada Militar organizava patrulhas do interior com a ajuda de pelotões de cidades maiores. O reforço virá da formatura de 2 mil novos soldados, que iniciaram nesta sexta-feira (26), em Porto Alegre, e seguem até o dia 10 de agosto.

Leia mais:
Distribuição de novos soldados fará com que 15 cidades da Serra passem a ter cinco PMs
"Maior poder e resposta imediata", diz comando sobre nova tropa de choque na Serra
Governo do RS anuncia novo Batalhão de Choque e Serra ganhará 110 PMs em agosto  

Na área do 36º Batalhão de Polícia Militar (36º BPM), que tem sede em Farroupilha, por exemplo, há três municípios com menos do que cinco brigadianos. A estratégia era programar dias e horários para atuação desta patrulha do interior.

— Uníamos esforços (entre cidades) e cumpríamos escalas. Não eram todos os dias e horários, mas buscávamos cumprir o trabalho e atender a estes municipios. A prioridade era o horário bancário — explica o major Juliano Amaral.

Fora deste planejamento, era necessário o deslocamento entre cidades para o atendimento de ocorrência. O horário mais complicado é o da madrugada. Por outro lado, o subcomandante do 36º BPM destaca que, em cidades menores, os problemas são mais conhecidos e o apoio da comunidade é maior.

— Há uma parceria muito grande, então sabemos as principais necessidades e conseguimos atender. Claro que, agora, haverá uma melhora na prestação do serviço. Só não será o suficiente para garantir um policiamento 24 horas porque é preciso considerar que há folgas e férias — aponta o major Amaral.

Pelotões especiais também serão reforçados

Como a formação de 2 mil novos policiais militares não resolve a defasagem do efetivo _ em janeiro, eram 15 mil PMs a menos, 47% abaixo do previsto em lei —, a BM optou por reforçar suas tropas com maior mobilidade. 

Além do novo Batalhão de Choque na Serra, que será criado com 110 PMs e terá sede em Caxias do Sul, também serão reforçados os Pelotões de Operações Especiais (POE) de todos os batalhões.

— É uma tropa que tem uma mobilização maior e consegue atender a municípios menores. O Batalhão consegue fazer uma distribuição melhor dos recursos conforme a necessidade. Estaremos mais presentes em todas as missões que já buscamos cumprir — afirma o major Amaral.

Na Serra, além do 36º BPM, há o POE do 1º Batalhão de Policiamento em Áreas Turísticas (1º BPAT) em Gramado, do 3º BPAT em Bento Gonçalves e do 10º Batalhão de Polícia Militar (10º BPM). Em Caxias do Sul, o  12º BPM possui uma Companhia de Operações Especiais (COE), que inclui o canil e o policiamento montado.

Foco nos 18 municípios mais violentos

Apesar de garantir este efetivo mínimo em todos os municípios gaúchos, a distribuilão dos 2 mil novos soldados irá priorizar os territórios que concentram o maior número de delitos. Por isso, 1.127 PMs, o que representa 58% do efetivo total a ser distribuído, irá reforçar os batalhões dos 18 municípios com maiores índices criminais. Segundo o governo, essas cidades, além de reunirem 45% da população do RS, responderam por 89% dos roubos de veículos, 88% dos assaltos a pedestres e 71% das mortes violentas no Estado nos últimos 10 anos. O único município da Serra neste critério é Caxias do Sul. Contudo, ainda não foi divulgado quantos PMs a cidade receberá.

Leia também:
Caxias do Sul pode ficar sem região turística
Final de semana de sol e temperaturas em queda na Serra 
Conheça mais sobre a fé dos senegaleses que vivem em Caxias

 
 
 
 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros