Homem é condenado a 18 anos de prisão por matar ex-namorada a marteladas em Caxias do Sul - Polícia - Pioneiro

Versão mobile

 
 

Feminicídio30/07/2019 | 16h18Atualizada em 30/07/2019 | 17h38

Homem é condenado a 18 anos de prisão por matar ex-namorada a marteladas em Caxias do Sul

Júri aconteceu nesta terça-feira, quase um ano após o crime

Homem é condenado a 18 anos de prisão por matar ex-namorada a marteladas em Caxias do Sul Arquivo pessoal / Divulgação/Divulgação
Andressa Maria Suzin Ferreira, 24, foi assassinada em agosto de 2018 Foto: Arquivo pessoal / Divulgação / Divulgação
Pioneiro
Pioneiro

Quase um ano após o crime, Silvio Vasnei Guedes dos Santos, 39 anos, foi condenado a 18 anos de reclusão em regime fechado pelo assassinato da ex-namorada Andressa Maria Suzin Ferreira, 24. O feminicídio aconteceu no dia 12 de agosto de 2018, em Caxias do Sul. O réu confessou ter matado a jovem, que tinha sinais de marteladas no corpo. O Tribunal do Júri terminou às 15h21min desta terça-feira (30).

Leia mais
Homem confessa morte de mulher a marteladas em Caxias do Sul, mas alega legítima defesa 

O Ministério Público denunciou Santos de homicídio qualificado por motivo torpe, utilização de meio cruel e recurso que dificultou a defesa da vítima. Na noite do crime, familiares receberam uma ligação do acusado e foram até a residência dele no bairro Pio X, onde encontraram Andressa morta no quarto, por volta das 22h. O corpo tinha sinais de asfixia e golpes de martelo na região da cabeça.

Após oito dias, o ex-namorado se entregou à Polícia Civil e confessou a autoria do assassinato. Em sua versão, Santos alegou que Andressa o teria atacado com um ferro elétrico durante uma discussão. Desde então, o réu está recolhido na Penitenciária Estadual de Caxias do Sul, na localidade do Apanhador.

No plenário, a confissão se manteve. A atuação da defesa foi contra as qualificadoras do homicídio e pelo reconhecimento do privilégio da violenta emoção. O advogado Adão Saulo da Rocha afirma que irá recorrer da sentença.

— A defesa entendia que cabia a violenta emoção em relação a todo o contexto de como aconteceu e manteve que as qualificadoras não se sustentavam. Este era o nosso principal argumento. Em tese, iremos entrar com recurso para tentar reduzir a pena, que foi exagerada — afirma.

Leia também:
Polícia vai solicitar prisão preventiva de suspeito de feminicídio em Bom Jesus
Domingo de Dia dos Pais terá lojas abertas em Caxias do Sul
Sabrina Sato firma parceria com a farroupilhense Melissa

 
 
 
 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros