Polícia diz que bicheiro alvo de operação em Gramado usava a conta da mulher para lavar dinheiro - Polícia - Pioneiro

Vers?o mobile

 
 

Busca e apreensão14/05/2019 | 10h52Atualizada em 14/05/2019 | 14h52

Polícia diz que bicheiro alvo de operação em Gramado usava a conta da mulher para lavar dinheiro

Ao todo, R$ 5 milhões em bens foram sequestrados em ações em cidades da Serra

Polícia diz que bicheiro alvo de operação em Gramado usava a conta da mulher para lavar dinheiro Gustavo Barcelos / Polícia Civil de Gramado/Polícia Civil de Gramado
A Polícia Civil de Gramado cumpre 13 mandados de busca e apreensão na manhã desta terça-feira Foto: Gustavo Barcelos / Polícia Civil de Gramado / Polícia Civil de Gramado

A Polícia Civil de Gramado cumpre 13 mandados de busca e apreensão na manhã desta terça-feira (14), nas cidades de Canela e Gramado, em uma ação de combate à lavagem de dinheiro decorrente de jogo de azar, intimidação, agressões e tentativa de homicídio.  

A chamada Operação Castelo de Areia está efetuando o sequestro de imóveis e veículos de luxo, além do bloqueio de contas bancárias e de aplicações financeiras. Ao todo, são cerca de R$ 5 milhões em bens bloqueados. Até agora foram apreendidos seis automóveis de luxo e duas motos, e três pessoas foram presas. Uma das prisões ocorreu por mandado de prisão preventiva e duas estão relacionadas a flagrantes. 

Leia mais
Operação que investiga jogo do bicho bloqueia R$ 5 milhões em bens em Gramado   

Uma das prisões em flagrante ocorreu por posse de drogas (cocaína, maconha e ecstasy) que foram encontradas nas residências alvos da ação. O motivo da outra prisão não foi divulgado pela polícia. Além disso, foram apreendidas pelo menos cinco armas: quatro pistolas e um revólver.  Os policiais também apreenderam cerca de R$ 50 mil em dinheiro nas moradias em que foram realizadas as buscas. 

Foto: Gustavo Barcelos / Polícia Civil Gramado

O delegado Gustavo Barcelos aponta que a conta bancária da esposa de um dos bicheiros presos na ação movimentava cerca de R$ 500 mil.  

— Parte do dinheiro fazia parte do esquema e passava pela conta dela como parte da lavagem – afirma.

Barcelos ainda aponta que a operação Castelo de Areia, realizada nesta terça, se fundiu com outra ação que investigava tentativas de homicídio por pessoas que faziam parte do esquema de lavagem de dinheiro.        

Segundo o delegado regional da Polícia Civil de Gramado, Heliomar Franco, as investigações se iniciaram há cerca de dois anos, apurando a prática ilegal de utilização de empresas de fachada que absorviam dinheiro oriundo do jogo do bicho. As somas obtidas com o lucro dos jogos ilegais eram repassadas a empresas-laranja, como restaurantes e agências de turismo.     

— O resultado dessa atividade ilícita passava por um processo de "branqueamento" do capital. O dinheiro passava por por empresas fantasmas e depois era integrado ao patrimônio desses indivíduos, que depois adquiriam bens de luxo, como veículos e imóveis de valores milionários — aponta Franco.       

Fazem parte da operação 50 policiais civis e sete militares. A ação conta com o apoio das delegacias das cidades de Taquara, Canela, Igrejinha, Três Coroas e São Francisco de Paula. 

Leia também
De cueca e armado com faca, homem ameaça ex-companheira em parada de ônibus em Caxias
Homem é vítima de extorsão após trocar fotos íntimas com mulher por aplicativo de conversa 


 
 
 
 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros