Homem que se passou por delegado da PF, em Farroupilha, e tentou adotar crianças é condenado - Polícia - Pioneiro

Vers?o mobile

 
 

Decisão21/05/2019 | 06h20Atualizada em 21/05/2019 | 06h45

Homem que se passou por delegado da PF, em Farroupilha, e tentou adotar crianças é condenado

Alexander Borges Teixeira vai cumprir pena no regime semiaberto 

Homem que se passou por delegado da PF, em Farroupilha, e tentou adotar crianças é condenado Polícia Federal / divulgação/
Foto: Polícia Federal / divulgação

A Justiça Federal condenou a seis anos de reclusão um homem que se passou por delegado da Polícia Federal durante dois anos, na serra gaúcha, e tentou adotar três crianças com a esposa. A decisão é de quinta-feira (16) e define que Alexander Borges Teixeira cumpra a pena no regime semiaberto.  

Segundo o Ministério Público Federal, entre 2013 e 2015, Teixeira se apresentava como funcionário federal para os moradores de Farroupilha. Ele dizia que havia começado a trabalhar como perito criminal em Porto Alegre, mas em 2015 assumiu como delegado federal em Gramado. Ele falsificou carteira profissional de delegado bem como diversos documentos. 

Entre as fraudes, Teixeira ainda contava que falava diversos idiomas e tinha diplomas de Ensino Superior e mestrado em grandes universidades do país. 

A denúncia ainda aponta que ele usava a falsa profissão para conseguir benefícios, entre eles, iniciar um processo de adoção de três crianças. Ele chegou a conseguir a guarda provisória, mas não chegou a exercê-la, pois foi descoberto pelo Ministério Público Estadual. 

O homem poderá recorrer da sentença no Tribunal Regional Federal da 4ª Região. GaúchaZH não conseguiu contato com a defesa de Teixeira. 

Leia também
Jaime Andreazza fica ferido em desabamento de telhado em obra de supermercado em Caxias
Esquartejador de Caxias é preso 15 anos depois do crime ao pedir certidão na PF
"Tínhamos perdido as esperanças", diz dona de cachorros recuperados pela polícia em Caxias

 
 
 
 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros