Suspeito de cometer nove estupros em Vacaria é preso em Santa Catarina - Polícia - Pioneiro

Vers?o mobile

 
 

Após oito meses de investigações15/03/2019 | 09h15Atualizada em 15/03/2019 | 10h25

Suspeito de cometer nove estupros em Vacaria é preso em Santa Catarina

Ele é suspeito de invadir casas de mulheres entre 47 e 83 anos que moravam em bairros de classe média da cidade da Serra

Suspeito de cometer nove estupros em Vacaria é preso em Santa Catarina Fabíola Casanova/Polícia Civil de Palhoça
Suspeito sendo conduzipo por agentes da Polícia Civil de Palhoça nesta quinta-feira (15) Foto: Fabíola Casanova / Polícia Civil de Palhoça

Oito meses de investigações a partir de uma força-tarefa implantada com vários órgãos policiais de Vacaria e Palhoça, em Santa Catarina, resultaram na prisão preventiva, nesta quinta-feira (14), de um homem suspeito de praticar nove estupros em Vacaria. Luiz Augusto da Fonseca, de 42 anos, é investigado por suposto abuso sexual de mulheres entre 47 e 83 anos, que moram sozinhas em bairros de classe média do município da Serra. Os casos teriam acontecido entre 2014 e 2018 e chocaram a comunidade de Vacaria. Desde os registros das primeiras vítimas, a polícia foi reunindo evidências para localizar o criminoso - foram coletadas amostras de DNA que vincularam a participação dele nos abusos.  

De acordo com titular da 25º Delegacia de Polícia, Carlos Alberto Defaveri, o método de abordagem às vítimas foi o principal elemento que contribuiu para localizar o homem e efetuar a prisão. As investigações apontaram que, durante a madrugada, ele invadia as residências de mulheres, pulando cercas, retirando o miolo de fechaduras de portas ou violando as janelas das residências. Depois de ingressar nos imóveis, obrigava as vítimas a fazer sexo com ele.  Como as investidas ocorriam no escuro, e diante das agressões e das ameaças que eram feitas às mulheres após os atos sexuais, as mulheres não reconheciam o rosto do criminoso. Algumas delas, em função do constrangimento, demoraram para fazer a denúncia.  

— Eram práticas que nos angustiavam muito e temos certeza absoluta da participação dele nesses casos – aponta Defaveri.

Ao longo do período de investigação, o homem passou residir em Palhoça. Nesse período, a polícia prosseguiu com a coleta de evidências que contribuíram para formar a convicção da participação dele nos crimes. Uma delas é uma imagem de uma câmera de monitoramento localizada em uma casa próxima de onde um dos abusos teria sido cometido. A imagem mostra o homem estacionando a bicicleta em frente a um imóvel, antes de pular uma cerca de ferro e invadir a casa. O homem, que trabalhava como jardineiro e pintor, usava a mesma bicicleta no serviço. O suspeito também já tinha antecedentes por atos obscenos.  

Além disso, conforme o delegado Defaveri, existem outros três casos de abuso que estão sendo investigados em Vacaria:

— A Polícia Civil tem total convicção de que mais três casos de 2018 foram praticados por ele, mas a demora com que as vítimas procuraram a Polícia prejudicou a coleta de provas - destaca.

A investigação foi realizada em conjunto com agentes da Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA).  A prisão preventiva foi solicitada pelo Delegado Vitor Fernando Boff e decretada pela juíza Anelise Boeira Varaschin Mariano da Rocha, da 2ª Vara Criminal de Vacaria. O homem será levado a Vacaria nesta sexta-feira e ouvido pela polícia na semana que vem.  

Leia mais  

Jovem é morto com três tiros em Caxias do Sul 

Jovem é morto a tiros dentro de casa em Farroupilha 

 
 
 
 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros