Comunidade fará homenagem a Naiara com caminhada e missa em Caxias do Sul - Polícia - Pioneiro

Vers?o mobile

 
 

Memória15/03/2019 | 16h48Atualizada em 15/03/2019 | 16h49

Comunidade fará homenagem a Naiara com caminhada e missa em Caxias do Sul

Grupo sairá da Praça Dante Alighieri e seguirá para missa no Cemitério Público Municipal

Comunidade fará homenagem a Naiara com caminhada e missa em Caxias do Sul Reprodução/Divulgação
Criança foi assassinada no dia 9 de março de 2018 Foto: Reprodução / Divulgação

Voluntários organizaram uma caminhada em memória a Naiara Soares Gomes, assassinada quando tinha sete anos por Juliano Vieira Pimentel de Souza, 32, em Caxias do Sul. O ato ocorre neste sábado e contará com a participação de Maria de Lourdes Gomes, tia e responsável legal de Naiara, além de outros familiares da criança. Por orientação de um advogado, a família não se manifesta publicamente sobre o caso. O estupro e o assassinato de Naiara aconteceram na manhã de 9 março de 2018.

A homenagem começa às 14h na Praça Dante Alighieri. Dali, o grupo seguirá até o Cemitério Público Municipal, no bairro Marechal Floriano, onde haverá uma missa. A caminhada é aberta a todos que tenham interesse em participar e homenagear a menina. Os organizadores pedem apenas que as pessoas usem camiseta branca. 

Leia mais
Tribunal de Justiça mantém júri popular no caso Naiara
Autor confesso de estupro e morte de Naiara irá a júri popular em Caxias do Sul
Quem é o homem que confessou ter matado Naiara em Caxias
"A gente não está a favor dele", diz irmã de homem que confessou morte de Naiara
Como a polícia chegou ao suspeito de ter raptado Naiara
Vídeo: O que mostram as câmeras do caminho onde menina desapareceu em Caxias  
Caso Naiara: por que defesa e acusação têm ressalvas diante do júri popular em Caxias
Caso Naiara: as versões da defesa e da acusação no julgamento do autor dos crimes em Caxias

Souza está recolhido na Penitenciária Estadual de Canoas (Pecan). Por decisão da 1ª Vara Criminal de Caxias do Sul e do Tribunal de Justiça, ele será submetido a julgamento popular em data ainda a ser marcada. O réu é acusado pelo Ministério Público de ter cometido quatro crimes: homicídio qualificado, estupro (duas vezes) e ocultação de cadáver. A Defensoria Pública, que representa Souza, entende que Souza deveria ser julgado por crime único, no caso, estupro de vulnerável qualificado pela morte (não intencional) da criança , caso que não seria de competência do júri. 

Relembre o caso

:: Naiara saiu de casa por volta das 6h30min do dia 9 de março de 2018, uma sexta-feira. Ela morava, na Rua Vesúvio, no loteamento Monte Carmelo.

:: O destino final seria a Escola Municipal Renato João Cesa, no bairro São Caetano, onde estudava. Ela seguia sozinha até o colégio.

:: Na Rua Júlio Calegari, perto da Mozart Perpétuo Monteiro, ela foi abordada por um homem em um Palio branco. Ele a atraiu com uma mochila em formato de cachorro e disse a menina que, se quisesse uma boneca, teria que entrar no veículo.

:: Depois que Naiara entrou no carro, Souza deu a ela um mistura de suco de laranja, açúcar e cachaça, embriagando-a.

:: O réu levou a menina para casa dele no bairro Serrano onde a estuprou duas vezes.

:: A menina chorou e Souza a asfixiou com as mãos (esganadura, segundo perícia) e fraturou a cervical da criança.

:: Depois de matar Naiara, por volta das 10h30min, Souza escondeu o corpo da menina em um mato perto da Represa do Faxinal, na região do bairro Ana Rech. Ele foi preso no dia 21 de março e indicou o local onde havia deixado o corpo da criança.

Leia mais
Conheça os principais pontos de Caxias que foram cenário do crime contra Naiara  Manifestantes se concentram em frente à delegacia para pedir justiça no caso de menina morta em Caxias Vizinhos de suspeito de estuprar e matar menina em Caxias temem que revolta popular atinja comunidade  

 
 
 
 
Pioneiro
Busca
Imprimir
clicRBS
Nova busca - outros