Inquérito contra seguranças que molharam homem, em Caxias, deve ser concluído na semana que vem - Polícia - Pioneiro

Vers?o mobile

 
 

Injúria real25/01/2019 | 16h31Atualizada em 25/01/2019 | 16h31

Inquérito contra seguranças que molharam homem, em Caxias, deve ser concluído na semana que vem

Vítima foi ouvida pela Polícia Civil na manhã desta sexta-feira

Inquérito contra seguranças que molharam homem, em Caxias, deve ser concluído na semana que vem Reprodução/
Foto: Reprodução

Molhado por seguranças nos primeiros dias de janeiro, Irineu Seibert, 56 anos, prestou depoimento a Polícia Civil de Caxias do Sul e confirmou o desejo que os responsáveis sejam responsabilizados. O caso teve grande repercussão após a divulgação de vídeos em redes sociais que mostravam os seguranças molhando e expulsando o homem do banheiro público da Praça Dante Alighieri.

Leia mais:
Prefeitura de Caxias quer punir empresa que contratou seguranças que molharam homem
Vereador solicita investigação ao Ministério Público sobre caso de homem molhado em banheiro no centro de Caxias 

O depoimento foi colhido no final da manhã desta sexta-feira (25) em uma clínica onde Seibert está internado para tratamento de alcoolismo. Segundo o delegado Vitor Carnaúba, teve a mesma versão que foi gravada e divulgada pela assessoria do vereador Rafael Bueno (PDT).

— Agora, temos como prosseguir (o inquérito). Precisávamos desta manifestação de vontade dele para a continuação do processo. A versão é a mesma que já foi divulgada. Estamos em contato com a empresa para que sejam apresentado os vigilantes envolvidos.

Ao chefe do 1º Distrito Policial (1º DP), Seibert admitiu que estava alcoolizado naquela noite e, por isso, "não se recorda muito bem dos fatos". Contudo, o homem garante que não conversou com os seguranças naquela noite ou possuía qualquer desavença anterior.

Para o delegado Carnaúba, o caso se trata de uma injúria real, que é quando os autores praticam vias de fato para ofender seu alvo. A pena é de três meses a um ano de detenção e multa, além da pena correspondente à violência — no caso, vias de fato, que tem pena de quinze dias a três meses ou multa. Contudo, a tendência é que a sentença seja convertida em pena alternativas, como a prestação de serviço comunitário.

INJÚRIA REAL
Artigo 140 -
Injuriar alguém, ofendendo-lhe a dignidade ou o decoro:
§ 2º - Se a injúria consiste em violência ou vias de fato, que, por sua natureza ou pelo meio empregado, se considerem aviltantes:
Pena - de três meses a um ano de detenção e multa, além da pena correspondente à violência.

Leia também:
Criminosos aplicam golpe do falso depósito para aquisição de máquinas agrícolas na Serra
Polícia Civil prende companheira de idoso morto durante assalto em Bom Jesus
Confira cinco questões em aberto sobre a explosão de prédio em Farroupilha

 
 
 
 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros