Bando entra em depósito, amarra funcionário e leva materiais de empresa em Caxias  - Polícia - Pioneiro

Versão mobile

 

Roubo a estabelecimento01/12/2018 | 13h52Atualizada em 01/12/2018 | 13h52

Bando entra em depósito, amarra funcionário e leva materiais de empresa em Caxias 

Ladrões usaram armas para ameaçar refém

Pioneiro
Pioneiro

Uma empresa que fornece materiais para a construção de redes de telecomunicações foi alvo de criminosos no final da tarde desta sexta-feira em Caxias do Sul. Bandidos armados renderam um funcionário, entraram no depósito e roubaram cabos de fibra ótica e outros equipamentos.

Por volta das 17h20min, um funcionário da empresa Supri Wireless foi até o depósito que fica a uma quadra da sede, na Rua Faustino Biasin, no bairro Sagrada Família, para fechar o local, já que se aproximava o final do expediente. Ao chegar em frente ao prédio, foi rendido por quatro homens armados com pistolas. Segundo registro policial, um dos bandidos ficou  no lado de fora enquanto os demais entraram fazendo refém o trabalhador. A vítima foi amarrada com fitas adesivas nos braços e pernas e colocado no chão em um corredor sob a observação de um dos assaltantes. 

Os ladrões levaram bobinas de cabos de fibra ótica e caixas de switchs (equipamentos que servem para fazer as conexões entre as redes). O quarteto não tinha o rosto coberto e utilizou um Tempra branco com reboque para efetuar o roubo. Ao deixar o local, um deles retornou e soltou o funcionário, que não teve ferimentos.

O dono da empresa, Rudinei Savariz, disse que as câmeras de monitoramento flagraram a ação dos criminosos e que vai entregar as imagens somente à Polícia Civil. Os servidores da empresa de vigilância que faz a segurança do local não perceberam a ação. O empresário acredita que os ladrões tenham um receptador para o material, já que é de utilização específica. Ele também acha que o grupo deveria estar vigiando o local há alguns dias. 

– A marginalidade cresceu tanto que estão roubando qualquer coisa. Entram nas empresas e estabelecimentos sem nenhum pudor. Uma vez se ouvia falar que eles (ladrões) usavam capuzes. Hoje, para que usar capuz se a impunidade é grande? Realmente, está uma lástima (a situação) porque investimos em segurança, tecnologia, geramos empregos, renda e impostos e, no final, percebemos que não temos o mínimo que é a segurança. Graças a Deus que não machucaram nosso colaborador – lamenta o empresário.

A empresa já sofreu tentativas anteriores de roubo, mas esta é a primeira vez nos 15 anos de atividades que o local é invadido.

 
 
 
 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros