Casal é indiciado por latrocínio de sócio de supermercado em Bento Gonçalves - Polícia - Pioneiro

Vers?o mobile

 
 

Roubo com morte26/11/2018 | 15h27Atualizada em 26/11/2018 | 15h27

Casal é indiciado por latrocínio de sócio de supermercado em Bento Gonçalves

Inquérito foi concluído e remetido ao Poder Judiciário

Casal é indiciado por latrocínio de sócio de supermercado em Bento Gonçalves Facebook/Reprodução
Gregório Bruschi, sócio-proprietário da rede de supermercados Grepar Foto: Facebook / Reprodução

A Polícia Civil indiciou um casal pelo latrocínio (roubo com morte) do empresário Gregório Bruschi, sócio-proprietário da rede de supermercados Grepar de Bento Gonçalves. O inquérito foi concluído nesta segunda-feira (26). Como o Poder Judiciário não decretou a prisão preventiva pela investigação do latrocínio, a Polícia Civil decidiu por não divulgar o nome dos indiciados. O casal está recolhido ao sistema penitenciário em razão de condenação por outros crimes contra o patrimônio. 

Leia mais:
Imagens não ajudam a identificar autor de latrocínio em Bento Gonçalves
Amigos e familiares se despedem de empresário vítima de latrocínio em Bento Gonçalves
Bento Gonçalves registra 50º homicídio do ano  

O crime aconteceu na noite de 6 de setembro, quando um criminoso armado e encapuzado invadiu a filial do Grepar no bairro Botafogo. O empresário vinha dos fundos do mercado e levantou as mãos para o alto, mas foi atingido por um disparo nas pernas. Bruschi foi socorrido e permaneceu internado por três dias, mas não resistiu ao ferimento.

Para o delegado Álvaro Becker, não há dúvidas sobre o crime. O latrocínio fica configurado pois o ladrão levou R$ 2,6 mil dos caixas.

— Estamos tranquilos. Chegaram várias informações desencontradas, mas investigamos e apuramos que se tratava de um latrocínio e que o autor é esse que está preso. Não foi possível um reconhecimento pessoal, porque as testemunhas só viram o assaltante com a cara tapada. Mas todas as testemunhas apontaram (o investigado) como sendo parecido com o indivíduo que atirou contra o Gregório — resume.

O investigado optou por se manifestar somente em juízo. Sobre a participação da mulher, o delegado da 2ª Delegacia de Polícia (2ª DP) relata que testemunhas apontaram que ela esteve no mercado para comprar cerveja minutos antes do crime.

— Possivelmente, estava verificando o "terreno" para a realização do roubo. As testemunhas reconheceram ela. Ela frequentava o mercado. Eles já haviam sido vítimas dela (em outros crimes) — explica Becker.

Na época do latrocínio, o casal era considerado foragido da Justiça. Durante as investigações, eles foram capturados e seguem recolhidos no Presídio Estadual de Bento Gonçalves.

A arma utilizada no assalto não foi localizada pela Polícia Civil, que segue em diligências. O laudo da perícia não retornou, mas o delegado Becker acredita que foi utilizado um revólver calibre .38.

Leia também:
Menos da metade dos internos do Case de Caxias é da cidade
Homem é morto em bar de Monte Alegre dos Campos

 
 
 
 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros