Imagens mostram que preso esperou taxista por duas horas na Rodoviária de Caxias do Sul - Polícia - Pioneiro

Vers?o mobile

 
 

Crime por ciúmes17/09/2018 | 16h10Atualizada em 17/09/2018 | 18h00

Imagens mostram que preso esperou taxista por duas horas na Rodoviária de Caxias do Sul

Investigação aponta que assassinato foi motivado por ciúmes de uma mulher

Imagens mostram que preso esperou taxista por duas horas na Rodoviária de Caxias do Sul Vídeo  / Reprodução /Reprodução
Pelas imagens, Polícia Civil refez a caminhada do suspeito entre os bairros Pio X e Planalto, onde reside Foto: Vídeo / Reprodução / Reprodução

As câmeras de monitoramento existentes em Caxias do Sul foram decisivas para o esclarecimento do assassinato do taxista João dos Santos Oliveira, 59 anos. Imagens da Estação Rodoviária mostram o suspeito esperando por duas horas para embarcar no táxi do seu alvo. Após o crime, pelas câmeras, a Polícia Civil conseguiu refazer a caminhada do investigado até a sua residência no bairro Planalto. 

Leia mais:
Polícia Civil prende em Florianópolis suspeito de matar taxista em Caxias do Sul
Imagens mostram suspeito de matar taxista em Caxias do Sul  
Taxista assassinado em Caxias trabalhava há cerca de sete meses na função

Em razão de o mandado de prisão ser temporário, a Delegacia de Furtos, Roubos, Entorpecentes e Captura (Defrec) não divulga a identidade do suspeito. O homem de 60 anos é aposentado e não possuía antecedentes criminais.

— É um senhor pacato, silencioso, que aparentemente demonstrava ser uma pessoa boa. Por isso, ninguém desconfiou dele e não chegaram denúncias (apesar das imagens divulgadas pela Polícia Civil). O motivo (do homicídio) foi o ciúme desta mulher — explica o delegado Adriano Linhares.

Para os investigadores, Oliveira não conhecia o suspeito e, por isso, aceitou a corrida na noite de 4 de setembro. O delegado aponta que o autor do crime estava sentado no banco de trás do táxi quando teria golpeado o motorista no pescoço. Os R$ 197 encontrados dentro do táxi é outro indício considerado para que o crime não fosse caracterizado como um assalto. O único pertence levado foi o celular da vítima.

— Temos certeza que foi ele quem levou (o celular) e deve ter se desfeito dele junto com a faca (a arma do crime). (O celular) poderia ter alguma mensagem, uma ameaça que poderia incriminá-lo — aponta Linhares.

Na quinta-feira passada, supostamente por perceber que a investigação se aproximava de sua identidade, o suspeito viajou para a casa de familiares em Santa Catarina. No sábado, três policiais da Defrec foram até a Praia dos Ingleses, em Florianópolis, e cumpriram o mandado de prisão temporária. O idoso se reservou ao direito de permanecer em silêncio. O inquérito deve ser concluído em 30 dias.

— A prisão foi resultado de trabalho de campo, de investigação e soma de detalhes. O inquérito não está fechado. Em princípio, (o preso) será indiciado por homicídio qualificado por motivo torpe e recurso que dificultou a defesa da vítima, além do furto do celular — conclui o delegado.

Preso suspeito de homicídio em Caxias
Prisão foi cumprida em Florianópolis (SC) no sábadoFoto: Polícia Civil / Divulgação

Leia também:
Imagens não ajudam a identificar autor de latrocínio em Bento Gonçalves
Saiba por que 2018 é o ano mais violento na história de Bento Gonçalves
Homem é preso com cocaína em moradia do bairro Centenário, em Caxias

 
 
 
 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros