Frei Jaime: quem se deixa prender pelas coisas materiais esquece de viver - Pioneiro

Vers?o mobile

 
 

Opinião01/06/2020 | 08h00Atualizada em 01/06/2020 | 08h00

Frei Jaime: quem se deixa prender pelas coisas materiais esquece de viver

Temos certeza que Deus está ouvindo nossas preces

Frei Jaime Bettega
Frei Jaime Bettega

jaime@ofmcaprs.org.br

Bom Dia! Que alegria iniciar, ao mesmo tempo, um novo dia, uma nova semana e um novo mês... Estamos no primeiro dia do mês 6! O tempo passa... Até estamos querendo que o tempo passe e que a pandemia despareça... Temos certeza que Deus está ouvindo nossas preces... Continuemos persistentes e confiantes, sem esquecer o cuidado, que é a melhor ‘arma’ para enfrentar esse problema... Feliz mês de junho... Que a alegria das festas juninas não seja esquecida... Sejamos criativos! 

"Tudo na vida é emprestado. Não faz sentido estar tão apegado." 

A qualidade da vida resulta da relação consigo mesmo, com os outros, com as coisas materiais e com o transcendente. O ser humano está em contínua relação com tudo e com todos. Porém, o ponto de partida é a harmonia dentro de si mesmo. As pessoas que desenvolvem o autoconhecimento e o autocontrole são capazes de administrar serenamente as situações diárias, sofrem menos e otimizam as próprias energias em direção ao essencial. Ao longo da história, muitas pessoas conseguiram vencer a tentação do apego material. Ainda bem que estudos recentes mostram que as próximas  gerações não terão muita apreciação pelo materialismo. O mundo caminha para a leveza, espontaneidade e valorização das coisas simples. Quem se deixa prender pelas coisas materiais, esquece de viver e de intensificar o que realmente tem significado.            

Quer ler mais textos do Frei Jaime?
Clique para conferir textos dos colunistas do Pioneiro

Cada pessoa opta por um estilo de vida. A família, a cultura, o meio e as amizades podem influenciar nas escolhas, mas quem procura ouvir o coração e coloca como meta a felicidade, naturalmente vive intensamente o seu propósito. Não é necessário recordar, a todo instante, que a vida física é finita. Mas, também, não é aconselhável esquecer que, um dia, será necessário partir. A relação com o material traduz o entendimento e a crença em relação ao amanhã da existência. 

As pessoas que passam os dias de forma apegada, esquecem de viver e perdem as melhores oportunidades de investir no eterno, naquilo que não passa. Sim, tudo na vida é emprestado. Quando da partida, será necessário deixar as coisas que foram sendo acumuladas, ano após ano. Suprir as necessidades é um direito e um dever. Mas não faz sentido colocar as coisas materiais em primeiro lugar e viver excessivamente preocupado, permitindo excessivo espaço para a ganância. A vida anseia pela leveza e pela liberdade. A passagem por este mundo é rápida, mas o tempo é suficiente para descobrir que é necessário tão pouco, para ser simplesmente feliz. 

Bênção! Paz & Bem! Santa Alegria! Abraço!

Leia também
Como empreendedores de Caxias estão enfrentando as incertezas causadas pelo coronavírus
Artistas caxienses contam como tentam se adaptar à nova realidade temporária, após a pandemia

 
 
 
 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros