Frei Jaime: a pessoa que desabafa com você precisa de ajuda e não de sermão - Pioneiro

Vers?o mobile

 
 

Opinião30/05/2020 | 08h00Atualizada em 30/05/2020 | 08h00

Frei Jaime: a pessoa que desabafa com você precisa de ajuda e não de sermão

De um jeito ou de outro, todos tiveram que se reinventar

Frei Jaime Bettega
Frei Jaime Bettega

jaime@ofmcaprs.org.br

Bom Dia! O sábado se apresenta lentamente e anuncia a chegada do penúltimo dia do mês de maio... Muitos sentimentos visitaram e revisitaram a individualidade de cada um, a família, o espaço profissional e a convivência... De um jeito ou de outro, todos tiveram que se reinventar... Ainda bem que a maioria compreendeu a gravidade e assumiu as indicações da saúde... Ainda está difícil, mas o cuidado foi assimilado e está sendo exercitado... Culturalmente estamos mais atentos à vida... Tudo vai passar... Já estamos mais próximos da normalidade... Chegaremos lá! Teremos muitas histórias para contar... Feliz sábado! 

"A pessoa que desabafa com você precisa da sua ajuda e não do seu sermão." 

A vida é, verdadeiramente, um universo infinito. Cada pessoa carrega dentro de si um mundo imensurável, com dimensões materiais e imateriais. Quando se trata de olhar para a outro, não é apenas mais uma pessoa, mas alguém único, portador de sonhos, de limitações e de muitos qualificativos. O ser humano é uma fortaleza, sem precisar abandonar a fragilidade. Portanto, todos são fortes e, ao mesmo tempo, fracos. Uma visão realista pode abrir um necessário espaço para a compreensão e a aceitação da imperfeição, mesmo que a plenitude seja um ideal a ser perseguido continuamente. Como ninguém se basta a si mesmo, o desejo de construir entrelaçamentos é praticamente natural. As buscas emocionais e afetivas também necessitam ser atendidas.               

Quer ler mais textos do Frei Jaime?
Clique para conferir textos dos colunistas do Pioneiro

Entre tantas necessidades humanizantes, a importância de contar com alguém que saiba escutar é essencial. Por outro lado, encontrar uma pessoa que esteja disposta a ouvir, sem emitir nenhum julgamento, não tem sido fácil. Normalmente o ouvinte está predisposto a emitir um parecer, a partir do seu mundo, das suas experiências e, também, dos seus sonhos. A pessoa que precisa desabafar não está em busca de um sermão ou de pios conselhos, mas de um ouvido que acalme as alterações emocionais e que seja capaz de auxiliar, através de ponderações, na construção de um outro horizonte de vida. 

A cada dia que passa, cresce a necessidade de encontrar bons escutadores, para que os problemas não sejam aumentados e que a paz torne-se próxima e amiga. Ter com quem contar num momento exigente, quando as dores emocionais alcançam o cotidiano, é um privilégio em forma de alento e de afeto. Saber escutar, despido de qualquer opinião, é uma construção que abre as portas do coração para acolher muitas alegrias. A natureza é sábia: todos têm dois ouvidos, por causa da importância da escuta. Sem dúvida, é uma maravilhosa atitude saber acolher o desabafo do outro. 

Bênção! Paz & Bem! Santa Alegria! Abraço!

Leia também
Como empreendedores de Caxias estão enfrentando as incertezas causadas pelo coronavírus
Artistas caxienses contam como tentam se adaptar à nova realidade temporária, após a pandemia

 
 
 
 
Pioneiro
Busca
Imprimir
clicRBS
Nova busca - outros