Entidade denuncia racismo de candidato a vice-presidente no Ministério Público  - Pioneiro

Versão mobile

 

Polêmica12/08/2018 | 14h48Atualizada em 12/08/2018 | 14h48

Entidade denuncia racismo de candidato a vice-presidente no Ministério Público 

Antonio Mourão disse na CIC de Caxias que negros são malandros

A Educafro apresentou na tarde de sexta-feira, notícia de crime no Ministério Público, em Caxias do Sul, para apurar suposto crime de racismo contra o candidato a vice-presidente, general Antonio Hamilton Martins Mourão, companheiro de chapa de Jair Bolsonaro (PSL). Mourão disse que índios são indolentes e africanos, malandros. A manifestação ocorreu na segunda-feira, dia 6, na Câmara da Indústria, Comércio e Serviços (CIC) de Caxias do Sul.

Por telefone, o diretor executivo da Educafro, Frei David Santos, explicou que a militância e os advogados da entidade concluíram que somente um processo criminal contra Mourão é a solução para haver respeito à população negra.

– Decidimos passar a reagir a toda e qualquer provocação.

Frei David disse ainda que recebeu a manifestação com sentimento de pena de Mourão, mas que é preciso ajudá-lo a perceber seus erros, por isso a decisão de realizar a denúncia. O representante da entidade afirmou também que, se ao final do processo houver a proposta de um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC), a entidade irá propor que Mourão tenha 100 horas-aula com informações sobre a realidade do povo negro e indígena no Brasil.

A Educafro é uma entidade de sociedade civil com sede em São Paulo e que atua contra o racismo e pela inclusão do negro na universidade e no mercado de trabalho.

Leia também:
Grupo da 25ª Região Tradicionalista traz centelha da chama crioula a Caxias
A poda em Caxias do Sul agora mutila jacarandás


 
 
 
 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros