Produtores de alho participam de encontro nacional em São Marcos - Pioneiro

Vers?o mobile

 
 

AGRICULTURA02/11/2010 | 09h20

Produtores de alho participam de encontro nacional em São Marcos

A atividade ocorre no dia 5 de novembro, no salão paroquial do município

Produtores de alho participam de encontro nacional em São Marcos Bento Bernardi, especial/
Produtor de alho desde 1984, Gilmar Molon, 45 anos, está com ótimas expectativas em relação à safra deste ano Foto: Bento Bernardi, especial
Vania Marta Espeiorin

vania.espeiorin@pioneiro.com

Compartilhar

Na pauta agrícola da Serra gaúcha desta semana, uma cultura se impõe: o alho. Dezenas de agricultores da região e de outras partes do país estarão reunidos em São Marcos para tratar de assuntos relacionados a esse condimento, considerado atraente ao paladar de muitos brasileiros.

Selo de qualidade, preço, classificação, combate à importação sem respeito aos critérios da lei são alguns dos itens a serem abordados no 23º Encontro Nacional de Produtores de Alho, que se inicia às 13h30min do dia 5 de novembro, no Salão Paroquial do município.

De acordo com o vice-presidente da Associação Nacional dos Produtores de Alho (Anapa) e presidente da Associação Gaúcha dos Produtores de Alho (Agapa), Olir Schiavenin, cerca de 300 participantes são esperados para o evento. Atualmente, o Brasil mantém em torno de 8 mil hectares de alho plantado. No solo gaúcho, o cultivo abrange 1,8 mil hectares (18 milhões de quilo da planta). Em quantidade, no país, são 80 milhões de quilos por safra, com destaque para os Estados de Minas Gerais e Goiás, onde se concentra a maior parte da produção.

Esse total geral, entretanto, é insuficiente para atender o mercado interno, cujo consumo é de 210 milhões de quilos de alho. Para suprir a necessidade, o Brasil acaba importando o bulbo principalmente da China e da Argentina.

— Quando esses mercados têm demanda lá fora, não enfrentamos problemas. Agora, quando não há mercado lá fora, esses produtos acabam entrando no Brasil a valores baixos, prejudicando nossos agricultores. E a nossa produção de alho é bem melhor que a importada, porque nosso solo e clima são favoráveis. Temos muito espaço para crescer, mas o pessoal não investe porque não tem segurança de que o mercado irá se manter — observa Schiavenin.

Produtor de alho desde 1984, Gilmar Molon, 45 anos, está com ótimas expectativas em relação à safra deste ano. A colheita em suas lavouras, em Ipê, começam daqui a uns 40 dias. Atualmente, Molon tem 14 hectares de alho plantados em Ipê. Como o clima está ajudando, ele espera colher 13 toneladas por hectare.

— Está dando uma chuva por semana e, neste ano, a produção deve superar a de 2009, quando o tempo não ajudou muito, porque choveu demais — relata Molon.

PARTICIPE
O que: XXIII Encontro Nacional dos Produtores de Alho
Quando: 5 de novembro de 2010
Onde: salão paroquial de São Marcos
Investimento/credenciamento: o acesso ao encontro é gratuito e o credenciamento pode ser feito na hora

Programação:
13h30min - Inscrição
14h - Abertura
14h15min - Palestras (EPAGRI, SEBRAE, MAPA) - Painel de experiência de produtores e previsão para a safra 2011
18h - Prestação de contas da Associação Gaúcha dos Produtores de Alho - Agapa
18h30min - Prestação de contas da Associação Nacional dos Produtores de Alho (Anapa)
19h - Encerramento e jantar

 
 
 
 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros