"Será o caos na segurança pública de Vacaria", prevê delegado regional - Polícia - Pioneiro

Versão mobile

 

Presos em delegacia13/04/2018 | 20h27Atualizada em 13/04/2018 | 20h34

"Será o caos na segurança pública de Vacaria", prevê delegado regional

Apesar dos alertas da Polícia Civil e BM, interdição do presídio local está mantida

"Será o caos na segurança pública de Vacaria", prevê delegado regional Roni Rigon/Agencia RBS
Presídio de Vacaria tem 85 detentos acima do limite estabelecido pela Justiça Foto: Roni Rigon / Agencia RBS

Se a desinterdição da Penitenciária Estadual de Caxias do Sul, na localidade do Apanhador, afastou a possibilidade de novos presos serem mantidos em delegacias do município, agora é Vacaria que enfrenta esse risco. Na noite desta sexta-feira, a chefia da Polícia Civil e da Brigada Militar (BM) foram até a juíza Greice Prataviera Grazziotin para expor as consequências da interdição do presídio da cidade, tomada na quinta-feira.

Leia mais:
Após Caxias do Sul, Vacaria pode ter presos em delegacias
Nova interdição da penitenciária do Apanhador, em Caxias do Sul, não está descartada
Sem vagas em presídios, três presos são mantidos em delegacia de Caxias do Sul
"O próprio Estado serve de RH para o crime", afirma juíza de Caxias do Sul
Custódia de presos em viaturas tira 36 PMs do policiamento das ruas de Porto Alegre 

A decisão determinou o limite de 250 pessoas no regime fechado. Como na sexta-feira haviam 335 presos recolhidos, seria necessária a saída ou transferência de 86 detentos para que a casa prisional pudesse voltar a receber detentos. Ou seja, já no final de semana, novos presos podem ficar em delegacias ou até mesmo algemados em viaturas da BM.

— Temos uma perícia do IGP (Instituto Geral de Perícias) que demonstra que a delegacia não tem condições físicas para receber presos. A outra questão é que são apenas duas celas e irá acontecer em Vacaria o que acontece na Região Metropolitana, onde tem viaturas paradas com presos. Só que somos uma cidade-sede, isolada de outros centros, com apenas um batalhão (da BM) e um presídio, e não temos como nos socorrer — alertou o delegado regional de Vacaria, Carlos Alberto Defaveri.

A falta de vagas impacta as comarcas de Vacaria, que inclui os municípios de Monte Alegre, Campestre da Serra, Muitos Capões, Esmeralda e Pinhal da Serra, e de Bom Jesus, que concentra demandas de Jaquirana e São José dos Ausentes. 

Das nove casas prisionais da Serra, cinco possuem algum tipo de interdição. A região abriga 2.763 detentos em uma estrutura planejada para 1.204 pessoas. Ou seja, há um déficit de 1.559 vagas. 

A situação mais grave, porém, é em Vacaria. A juíza Greice determinou a interdição do presídio que está com ocupação de 349% e alegou que solicitou providências que nunca foram atendidas pela direção da Superintendência dos Serviços Penitenciários (Susepe). 

— É um risco iminente (ter presos em delegacias), mas é até um limite máximo de poucos presos. Iremos analisar ainda (a quantidade de pessoas que cabem), mas são celas pequenas, sem água, sem luz e totalmente inadequadas para manter alguém por mais que poucas horas, como ocorre em uma prisão em flagrante _ aponta o delegado Defaveri, que ainda lamenta a falta de apoio de outros setores para resolver a situação ao longo dos anos:

—  Será o caos na segurança pública de Vacaria. Reconhecemos que esta ocupação de 300% é totalmente descabida, mas precisamos de um impulso verdadeiro que destine recursos para a construção de um novo presídio. Até o momento, vemos muitas suposições, mas pouca realidade — ressalta Defaveri.

Leia também:
Buscas pelos desaparecidos em Vacaria seguem no final de semana
Cães, fuzis e armadilhas no cerco ao javali
Definido esquema de segurança para votação do impeachment do prefeito de Caxias do Sul

 
 
 
 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros