Ministério Público vai pedir que juíza de Vacaria reconsidere interdição do presídio - Polícia - Pioneiro

Versão mobile

 

Sistema prisional14/04/2018 | 13h19Atualizada em 14/04/2018 | 13h19

Ministério Público vai pedir que juíza de Vacaria reconsidere interdição do presídio

Decisão é da quinta-feira

Ministério Público vai pedir que juíza de Vacaria reconsidere interdição do presídio Roni Rigon/Agencia RBS
Foto: Roni Rigon / Agencia RBS

O Ministério Público (MP) de Vacaria vai pedir que a juíza Greice Prataviera Grazziotin reconsidere a decisão pela interdição do Presídio Estadual de Vacaria. A medida começou a valer na quinta-feira (12). 

Leia mais
Após Caxias do Sul, Vacaria pode ter presos em delegacias
Nova interdição da penitenciária do Apanhador, em Caxias do Sul, não está descartada
Sem vagas em presídios, três presos são mantidos em delegacia de Caxias do Sul
"O próprio Estado serve de RH para o crime", afirma juíza de Caxias do Sul

Conforme a determinação da juíza, não podem ingressar presos, sejam eles provisórios ou definitivos, vindos de outras comarcas da região ou Estados. Com relação ao presos da comarca de Vacaria, a capacidade máxima permitida pela determinação judicial é de até 250 presos. Por exemplo, se 248 detentos estiverem recolhidos, apenas dois novos presos podem entrar se forem da comarca de Vacaria. Na sexta-feira (13), cerca de 330 presos estavam na unidade prisional, que tem capacidade para 96 detentos. Conforme a Polícia Civil de Vacaria, não havia presos aguardando vaga no presídio até o início da tarde deste sábado (14).

Em nota enviada por meio da assessoria de imprensa do MP, o promotor Rodrigo Sander, de Vacaria, afirmou que irá apontar à juíza a dificuldade na execução prática da interdição pelo impacto em outras instituições, como Susepe, Brigada Militar e Polícia Civil. Ele afirmou ainda que vai "indicar algumas situações que podem ser enfrentadas para buscar minimizar a curto prazo o problema enfrentado, tudo para evitar a adoção da medida extrema da interdição, ao mesmo tempo em que se apontam os esforços empreendidos para a viabilização, a médio e a longo prazo, da única solução real, que passa, necessariamente, pela ampliação e reforma do presídio atual ou pela construção de um novo presídio em outra área", afirmou na nota.

Ainda segundo o promotor, se a dedisão não for reconsiderada ao menos parcialmente pela juíza, o MP entrará com recurso no Tribunal de Justiça.

Leia também
Buscas pelos desaparecidos em Vacaria seguem no final de semana
Cães, fuzis e armadilhas no cerco ao javali
Definido esquema de segurança para votação do impeachment do prefeito de Caxias do Sul 


 
 
 
 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros