Ministério Público quer que autor confesso da morte de Naiara seja levado a júri popular - Polícia - Pioneiro

Versão mobile

 

Caso Naiara10/04/2018 | 17h54Atualizada em 10/04/2018 | 18h23

Ministério Público quer que autor confesso da morte de Naiara seja levado a júri popular

Juliano Vieira Pimentel de Souza foi indiciado por três crimes

Ministério Público quer que autor confesso da morte de Naiara seja levado a júri popular reprodução/Facebook
Foto: reprodução / Facebook
Pioneiro
Pioneiro

Para o Ministério Público (MP), Juliano Vieira Pimentel de Souza, 31 anos, deve ser levado ao Tribunal do Júri pelo estupro e assassinato de Naiara Soares Gomes, sete anos, crime ocorrido na manhã de 9 de março em Caxias do Sul. A denúncia assinada pelos promotores de Justiça Vercilei Lino Serena e Sílvia Regina Becker Pinto foi protocolada na tarde desta terça-feira (10) na 1ª Vara Criminal. Agora, para o réu ser levado a julgamento popular, a juíza Milene Fróes Rodrigues Dal Bó, titular da 1ª Vara, precisa receber a denúncia, o que deve ocorrer até quarta-feira (11).

Leia mais
Pena de autor confesso da morte de Naiara pode chegar a 63 anos de prisão
Como a polícia chegou ao suspeito de ter raptado Naiara
Quem é o homem que confessou ter matado Naiara em Caxias do Sul
Defensoria Pública deve pedir defensor de fora da cidade para autor confesso
Comoção e revolta marcam despedida de Naiara Soares Gomes
Susepe apreende celular que filmou oração por Naiara em presídio de Caxias do Sul
Vídeo: O que mostram as câmeras do caminho onde menina desapareceu em Caxias  

O promotor Vercilei diz que há fatos suficientes que mostram que Vieira matou Naiara para esconder o crime de estupro. É um entendimento diferente da Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA), que conclui o inquérito na semana passada indiciando Vieira pelo crime de estupro com morte e ocultação de cadáver, ou seja, a morte teria sido uma consequência do estupro. 

O MP afirma que Vieira deve responder por estupro de vulnerável, homicídio triplamente qualificado (por asfixia, com recurso que dificultou a defesa da vítima e para assegurar a impunidade de outro crime) e ocultação de cadáver.

— Pelo que entendemos na investigação, o autor matou a criança para esconder o outro crime. Por isso, entendemos que ele deve ir a júri — afirma Vercilei, que prefere não dar mais detalhes sobre o caso, pois o processo tramita em sigilo.

Sobre o outro rapto e estupro de outra menina cometidos por Souza em outubro do ano passado, o promotor informa que o inquérito foi remetido para análise da 3ª Vara Criminal. O pedido de prisão preventiva do autor confesso da morte de Naiara, que já havia sido solicitado pela DPCA, foi reforçado na denúncia de Vercilei e Silvia.

Vieira continua recolhido num presídio de Canoas.

Leia também
"Não há as mínimas condições", diz delegado sobre presos ficarem em delegacias na Serra
Menina baleada em Caxias lembra detalhes do dia do ocorrido: "senti uma 'batida' na barriga"

 
 
 
 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros