Dez consumidores denunciaram agência de intercâmbio que vendeu pacotes e fechou em Caxias - Polícia - Pioneiro

Versão mobile

 

Investigação em andamento03/04/2018 | 11h19Atualizada em 03/04/2018 | 11h36

Dez consumidores denunciaram agência de intercâmbio que vendeu pacotes e fechou em Caxias

Processo administrativo coletivo movido no Procon está em prazo de defesa e multa pode chegar a R$ 320 mil

Dez consumidores denunciaram agência de intercâmbio que vendeu pacotes e fechou em Caxias Mateus Frazão/Agencia RBS
Agência de intercâmbio funcionava no bairro Lourdes Foto: Mateus Frazão / Agencia RBS

Desde o final do ano passado, a Polícia Civil investiga denúncias de estelionato contra a agência Taw Intercâmbios, que atuava às margens da BR-116, no bairro Nossa Senhora de Lourdes, em Caxias do Sul. O delegado Vítor Carnaúba, titular da 1ª Delegacia de Polícia (DP), disse que todas as vítimas já foram ouvidas e a investigação aguarda o dono da empresa, localizado no interior de São Paulo, ser interrogado.

Desde então, o Procon de Caxias recebeu denúncias de 10 consumidores que compraram pacotes e depois encontraram a loja fechada. Um processo administrativo coletivo foi aberto e, depois de várias tentativas sem sucesso de notificação postal, o Procon estabeleceu o prazo final de 30 dias para que a empresa se defenda, contados a partir desta segunda-feira (2).

Leia mais
Polícia investigará denúncia de estelionato em agência de intercâmbio de Caxias

Segundo o coordenador do órgão, Luiz Fernando Del Rio Horn, só depois de finalizado o prazo é que poderá ser aplicada multa, que  pode girar em torno de R$ 240 a R$ 320 mil. Para punir os responsáveis, é encaminhado um ofício para a Delegacia Especializada do Consumidor, com sede em Porto Alegre, para localização, responsabilização e restituição dos consumidores lesados.

 
 
 
 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros