Polícia Civil da Serra receberá carabinas - Polícia - Pioneiro

Versão mobile

 

Aparelhamento02/03/2018 | 16h25Atualizada em 02/03/2018 | 16h25

Polícia Civil da Serra receberá carabinas

Armas foram adquiridas pelo governo do Estado em novembro do ano passado

Polícia Civil da Serra receberá carabinas Divulgação/Polícia Civil
Em novembro de 2017, governo do Estado fez a entrega à Polícia Civil de 79 carabinas Foto: Divulgação / Polícia Civil

Delegacias da Polícia Civil de três municípios da Serra receberão carabinas para combater os crimes na região. As armas passaram pelo processo de registro e incorporação ao patrimônio do Estado e estão à disposição para serem retiradas desde o final de janeiro deste ano.

As carabinas fazem parte de um lote adquirido pelo governo do Estado em novembro do ano passado. Das 79 compradas, 41 foram com recursos estaduais (R$ 319,8 mil), 36 com recursos federais (R$ 307,8 mil) e duas por meio de convênio com o Poder Judiciário (R$ 17,1 mil).

Semelhantes e com mesmo calibre 5.56 dos fuzis, aa diferença é que as carabinas não disparam em rajadas.

As delegacias contempladas na região são a de Homicídios, de Caxias do Sul (duas), a de Furtos Roubos, Entorpecentes e Capturas (Defrec), de Caxias (uma), a de Farroupilha (uma) e a de Nova Petrópolis (uma).

Segundo o chefe da Polícia Civil no Estado, Emerson Wendt, além das armas adquiridas pelo governo, as delegacias do Rio Grande do Sul estão recebendo fuzis apreendidos em operações policiais. A reutilização foi permitida por meio de portaria interna publicada pela chefia da Polícia Civil em 2016.

Nesse caso, é preciso que o delegado que efetuou a apreensão oficialize um pedido à Justiça. As armas são periciadas durante a fase processual e, por determinação judicial, entregues à polícia para reutilização. Antes de solicitar um armamento, o delegado avalia as condições de uso, de manutenção e de aquisição de munição. Em geral, as armas retornam para a delegacia de origem, porém, se em grande número, podem ser distribuídas.

Ainda conforme o delegado, em 2016, foram incorporadas três armas e, em 2017, 14. Munições também podem ser usadas pela polícia mediante ordem judicial.

Segundo a polícia, nenhuma arma apreendida na Serra, nos últimos anos, foi solicitada para reutilização. A explicação estaria nas más condições em que se encontram. A origem das armas é objeto de investigação da Polícia Civil em conjunto com a Polícia Federal. Em geral, são contrabandeadas.

– São duas principais fontes no Estado, principalmente, do Uruguai e do Paraguai – diz Wendt.

Leia também:
Caxias tem primeira beneficiada com prisão domiciliar a partir de decisão do STF
Polícia Civil prende dois investigados por assalto em bar de Farroupilha

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros