"Essa coisa de facções não se sustenta", diz delegado sobre tentativa de traficantes em tomar bairro em Caxias - Polícia - Pioneiro

Versão mobile

 

Combate ao tráfico07/03/2018 | 05h30Atualizada em 07/03/2018 | 08h38

"Essa coisa de facções não se sustenta", diz delegado sobre tentativa de traficantes em tomar bairro em Caxias

O entendimento é que, no momento, a melhor estratégia é monitorar movimentações criminosas

"Essa coisa de facções não se sustenta", diz delegado sobre tentativa de traficantes em tomar bairro em Caxias Diogo Sallaberry/Agencia RBS
Foto: Diogo Sallaberry / Agencia RBS

Neste momento, o 12º Batalhão de Polícia Militar (12º BPM) não irá realizar nenhuma operação específica no complexo do Jardelino Ramos, onde criminosos fortemente armados abordaram pessoas na noite do último sábado e permaneceram escondidos até esta terça-feira. O comando afirma que precisaria de informações mais precisas e amparo legal. O entendimento é que, no momento, a melhor estratégia é monitorar movimentações criminosas e deixar a investigação da Polícia Civil prosseguir.

Sobre a invasão, o major Emerson Ubirajara, subcomandante do 12º BPM- ressalta que Caxias do Sul ainda não é uma cidade dominada por facções.

– As (organizações) que são conhecidas ainda não conseguiram se estabelecer e ter áreas definidas. Mas, como toda cidade grande, é um caminho que está começando a ser percorrido. Se (eles) não se estabeleceram, é porque há uma resposta efetiva da BM. Nosso trabalho ainda consegue adotar providências para que situações como estas não se estabeleçam – declarou Ubirajara.

Leia mais:
"Estavam dispostos a matar rivais", disse subcomandante da BM sobre grupo que sitiou comunidade em Caxias
"Eles ofereciam drogas com preços tabelados", conta morador de comunidade invadida por criminosos em Caxias
Bairro da área central de Caxias é sitiado por criminosos armados com fuzil  

Os relatos da invasão para domínio do tráfico de uma facção de Porto Alegre causou estranheza ao delegado Adriano Linhares. O chefe da Delegacia de Furtos, Roubos, Entorpecentes e Capturas (Defrec) ressalta que tudo será apurado e investigado, mas aponta que o cenário descrito não é algo coerente com a realidade de Caxias do Sul. Linhares ressalta que a BM e os investigadores da Polícia Civil estão sempre nas ruas.

– Essa coisa de grupo e facções não se sustentam. Eles não estão dominando (localidades). O Estado está sempre atacando. Iremos investigar e prender (os responsáveis). De uma forma ou de outra (os criminosos) vão caindo. Todo dia tem traficante preso e prisões de um sujeito que pertence a um grupo ou outro. Na conjuntura de Caxias, não vejo se perpetuar uma situação destas – afirma Linhares.

O delegado complementa:

– A tentativa é livre. Mas a resposta existirá. Por mais que o grupo A, B ou C tente se projetar, existe a resposta. Todos os dias há prisões.

 Leia também:
Donos de animais maltratados terão de pagar despesas para cuidados dos bichos em Bento Gonçalves
Havan e Stock Center têm autorização para demolições, mas não para iniciar obras em Caxias

ntentFrom:cms -->
 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros