Roubos e furtos de carros têm o menor índice dos últimos oito anos em Caxias do Sul - Polícia - Pioneiro

Resultados06/02/2018 | 10h00Atualizada em 06/02/2018 | 10h07

Roubos e furtos de carros têm o menor índice dos últimos oito anos em Caxias do Sul

Em comparação com 2017, janeiro registrou queda de 69% nos crimes

Roubos e furtos de carros têm o menor índice dos últimos oito anos em Caxias do Sul Marcelo Casagrande/Agencia RBS
Foto: Marcelo Casagrande / Agencia RBS

Fazia muito tempo que um ano não começava com uma grande redução de roubos e furtos de carros em Caxias do Sul. Os 104 veículos levados por ladrões em janeiro pode parecer alto, mas se comparado ao mesmo período de anos anteriores, é o menor volume desde 2011 (confira quadro abaixo). Enquanto a Brigada Militar (BM) exalta a maior presença de PMs nas ruas como justificativa do resultado, a Polícia Civil se orgulha de ter atacado a estrutura de uma organização criminosa especializada nesses crimes.

Leia mais:
Quadrilha presa teria movimentado mais de mil carros em Caxias do Sul
Número de roubos de carros dispara em 2017 e assusta população de Caxias do Sul
Criminosos inexperientes estariam por trás do aumento de roubo de veículos em Caxias
Metade das vítimas de latrocínio em Caxias foram mortas durante roubos de veículos

A Operação Vida Fácil foi deflagrada na manhã de 21 de dezembro e desarticulou uma quadrilha que, segundo estimativa da Delegacia de Furtos, Roubos, Entorpecentes e Capturas (Defrec), movimentou mais de mil veículos nos últimos quatro anos. Os investigadores conseguiram mapear a função de cada integrante do bando e 12 homens indiciados por associação criminosa. A investigação, no entanto, prossegue com outros 35 inquéritos em aberto, que são relativos aos crimes de furtos, extorsão e receptação.

— Esses inquéritos individualizados vão fazer com que cada membro responda pelo crime (específico) que cometeu. É uma investigação com elementos técnicos capazes de abastecer promotores e juízes na hora do julgamento — explica o delegado Adriano Linhares.

Com o resultado, o chefe da Defrec começa a cumprir a primeira missão que recebeu quando chegou em Caxias do Sul em agosto passado. Linhares, porém, ressalta que o combate ao furto e roubo de veículos continua uma prioridade e que os índices podem reduzir ainda mais.

— Percebemos uma grande redução dos crimes, mas ainda não iremos comemorar. Há diversos outros infratores e uma outra quadrilha que são alvos de investigações nossas. Já entendemos como o crime funciona (na cidade) e estamos nos movimentando melhor — afirma.

Foto: Arte Pioneiro

O delegado Linhares defende que as investigações precisam alcançar criminosos que enriquecem com o crime. Nesta linha, o ladrão que está nas ruas é visto como uma peça de um grande quebra-cabeça.

— O trabalho precisa ser silencioso e de profundidade para atacar toda a cadeia criminosa. Procuramos, a partir da técnica, transparecer esta teia criminosa para que o Poder Judiciário tenha mais elementos para trabalhar — ressalta o titular da Defrec.

BM lembra maior presença policial nas ruas

Em 2016, mais de sete automóveis eram furtados ou roubados por dia em Caxias do Sul. O índice acendeu o alerta nas forças de segurança. Neste ano, com reforço no combate a esse crime, a média caiu para três veículos levados por ladrões por dia. O tamanho da redução registrada em janeiro surpreendeu positivamente os próprios órgãos policiais caxienses.

Comandante do 12º Batalhão de Polícia Militar (12º BPM), o major Jorge Emerson Ribas exalta o atual momento de confiança e integração entre a Brigada Militar (BM) e a Polícia Civil. O oficial relata que há uma troca de informações sobre crimes que auxiliam ambos os lados. 

— A surpresa é pelo percentual (elevado) em termos de redução. É o resultado das prisões que estão ocorrendo. Nossas patrulhas estão sempre atentas às situações suspeitas sobre veículos. Quando a prisão é seguida de uma investigação, como está ocorrendo, os resultados são ainda melhores — salienta Ribas.

Enquanto a Operação Vida Fácil desarticulou uma quadrilha especializada em furtos, o foco do 12º BPM está no combate aos roubos por um motivo: esse tipo de delito pode virar um latrocínio. A chegada de novos soldados e a maior presença policial nas ruas centrais é apontado como um ponto chave para inibir os ataques. 

— Acredito que estes resultados também são um reflexo da Operação Papai Noel. Nosso efetivo estava todo voltado para atuação nas ruas e desenvolveu um forte trabalho preventivo que continua reverberando — destaca o major.

Leia também:
Polícia Civil de Caxias do Sul ressalta que ocorrências são registradas apenas no bairro Jardim América
Torcedores de Caxias e Juventude se unem para campanha de doação de sangue
Grupos pedem medidas de segurança na Câmara de Vereadores de Caxias do Sul

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros