Polícia busca esclarecer relação entre espancado e homem encontrado morto em Caxias - Polícia - Pioneiro
 

Investigação02/02/2018 | 08h57Atualizada em 02/02/2018 | 08h57

Polícia busca esclarecer relação entre espancado e homem encontrado morto em Caxias

Caso está sendo investigado pela Delegacia de Homicídios

Polícia busca esclarecer relação entre espancado e homem encontrado morto em Caxias Porthus Junior/Agencia RBS
Foto: Porthus Junior / Agencia RBS

A Polícia Civil de Caxias do Sul ainda busca esclarecer qual é a relação entre o homem espancado e o que foi encontrado morto com queimaduras no bairro Diamantino no início da noite desta quinta-feira. Inicialmente, a ocorrência foi registrada como falecimento e lesão corporal — e não como um assassinato. A investigação, ainda assim, cabe a Delegacia de Homicídios. 

A perita que atendeu o caso não constatou nenhum outro ferimento em Nelson dos Santos Bueno, 49 anos,  além das queimaduras na parte inferior do tronco, braços e pernas da vítima. No entanto, apenas o legista, com exames mais detalhados, poderia precisar a causa da morte e afirmar se as queimaduras foram provocadas por uma agressão ou se são resultado da exposição do corpo ao sol.

Bueno foi encontrado morto por volta das 19h20min, na localidade conhecida como Beco da Rocinha, entre os bairros Diamantino e Presidente Vargas. O ponto de referência apontado na ocorrência é a Rua Amádio Perini. A perita acredita que a vítima estava morta há cerca de 12 horas.

Natural de Tenente Portela, Bueno era conhecido pelo apelido de Juruna e, oficialmente, morava na Rua Vanderlei Padilha Pescador, no Diamantino. Ele possuía antecedentes policiais por furto. Moradores próximos afirmam que ele era alcoólatra e, por isso, as pessoas acharam normal ver ele deitado por horas junto ao abrigo de papelão — o que fez o óbito demorar para ser constatado.

Espancado será ouvido nos próximos dias

Quando a Brigada Militar foi acionada, a denúncia ao 190 relatava sobre um homem queimado (Bueno) e outro ensaguentado na via pública. Lindomar Gimenes, 45, foi encontrado com diversas lesões e encaminhado pelo Samu ao Hospital Pompéia. Devido aos ferimentos, não foi possível tomar o seu depoimento.

Ainda não está clara a relação do espancamento de Gimenes com o encontro do cadáver. Natural de Vacaria, ele também era morador do Beco da Rocinha. Gimenes possui uma extensa ficha por furtos e era conhecido pelos apelidos de Azarão e Gamelinha.

Leia também:
Polícia Civil prende empresário suspeito de matar usuários de drogas em Caxias do Sul
Homem é encontrado morto em carro carbonizado no interior de Farroupilha

 
 
 
 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros