BM de Caxias do Sul captura investigado por latrocínio em Flores da Cunha - Polícia - Pioneiro
 

Assassinato de mecânico27/02/2018 | 11h51Atualizada em 27/02/2018 | 11h52

BM de Caxias do Sul captura investigado por latrocínio em Flores da Cunha

Os três suspeitos da morte de Tiago Becher Bonato são moradores de Caxias do Sul

BM de Caxias do Sul captura investigado por latrocínio em Flores da Cunha Arquivo pessoal / Divulgação/Divulgação
O mecânico Tiago Becher Bonato foi assassinado na noite de 17 de janeiro Foto: Arquivo pessoal / Divulgação / Divulgação

A Brigada Militar (BM) de Caxias do Sul capturou um suspeito do latrocínio de um mecânico em Flores da Cunha. Luciano Rodrigues da Silva, 23 anos, estava com a prisão temporária decretada desde o dia 16 de fevereiro. Ele foi encontrado em um posto de gasolina na Avenida Julio de Castilhos, no bairro São Pelegrino, por volta das 23h20min desta segunda-feira.

Leia mais:
Assassinato de mecânico caxiense intriga Flores da Cunha
"Não descartamos nenhuma hipótese", diz delegada sobre morte de mecânico em Flores da Cunha

O crime ocorreu na noite de 17 de janeiro, quando o mecânico caxiense Tiago Becher Bonato, 37 anos, negociava a compra de um ônibus na Rua Barros Cassal, na área central de Flores da Cunha. Os criminosos chegaram em um Corsa bordô e tentaram roubar o Audi da vítima, que estava estacionado e era tripulado pela mulher e pelo filho de sete anos de Bonato. De acordo com a Polícia Civil, o mecânico estava do outro lado da rua e, ao se aproximar para socorrer a família, foi baleado e morreu na hora. Os bandidos fugiram sem levar nada.

O mecânico caxiense negociava um ônibus na Rua Barros CassalFoto: Divulgação

A investigação sobre o caso avançou após o recebimento de uma denúncia anônima detalhada, que apontou dois nomes. O primeiro investigado é Cléber da Rosa, preso em flagrante por um outro roubo de veículo em Flores da Cunha no dia 31 de janeiro. 

O segundo suspeito é Luciano Silva, que teve as fotos apresentadas a testemunhas do crime e foi apontado como "muito parecido com um dos autores" do latrocínio. A prisão é válida por 30 dias, tempo que será utilizada pela Polícia Civil para esclarecer os fatos e concluir o inquérito.

A denúncia anônima ainda trazia o nome de Júlio César Pinheiro, conhecido pelo apelido de Bruce Lee,  que teria emprestado as armas utilizadas na ação criminosa. Pinheiro está em situação de foragido da Justiça e sua participação na noite do assalto também é apurada.

Além da prisão temporária, a Justiça autorizou mandados de busca nas residências de Silva, no bairro São Pelegrino, e de Pinheiro, no Cidade Nova, ambos em Caxias do Sul. A intenção é localizar e apreender armas e outros objetos relacionados ao latrocínio.

Leia também:
Quadrilha é presa em Guaporé com drogas, arma e carro roubado
Casal é denunciado por duplo homicídio no bairro Cristo Redentor, em Caxias do Sul
CVV de Caxias busca voluntários para ampliar trabalho de prevenção ao suicídio 

 
 
 
 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros