Homens são denunciados por assassinatos e incêndio a mando de facção, em Caxias do Sul - Polícia - Pioneiro

Versão mobile

 

Justiça11/01/2018 | 19h00Atualizada em 11/01/2018 | 19h01

Homens são denunciados por assassinatos e incêndio a mando de facção, em Caxias do Sul

Segundo Ministério Público, durante crimes, homens se passaram por policiais, executaram vítimas e atearam fogo a elas

Homens são denunciados por assassinatos e incêndio a mando de facção, em Caxias do Sul Kamila Mendes/Agencia RBS
Foto: Kamila Mendes / Agencia RBS
Pioneiro
Pioneiro

O Ministério Público de Caxias do Sul denunciou quatro homens pelas mortes de William Edmilson de Oliveira Gomes e Andrei Silveira dos Santos, ocorridas em 5 novembro de 2017. Tailesson Dionei Brito da Silva, conhecido como "Melara", Diogo Andrade de Matos, Guilherme Corso Ferreira e Rodrigo Palhano também foram denunciados por incêndio a mando de uma facção e receptação de veículo. Os casos ocorreram na Rua da Esperança, no bairro Cânyon.

Na denúncia, a promotora Sílvia Regina Becker Pinto qualificou os delitos como provocados por motivo torpe, meio cruel e mediante recursos que dificultaram a defesa das vítimas, já que elas estavam dormindo quando foram atacadas.

De acordo com o MP, os denunciados agiram impulsionados pela disputa de espaço no tráfico, para pôr fim ao ponto de drogas que achavam que existia no local e com o objetivo de amedrontar a facção criminosa concorrente. Rodrigo Palhano, um dos denunciados, organizou a ação de dentro da prisão.

Ainda segundo a denúncia, no dia do crime, Tailesson, Diogo, Guilherme e um adolescente se vestiram de policiais, chegaram até a casa no Cânyon em um veículo roubado e anunciaram que eram policiais. Um homem que estava no local fugiu pela janela e os criminosos disseram a sua mulher, Aline Rosa, que saísse da casa. Na sequência, os membros da facção disparam diversas vezes em William e Andrei. Depois, atearam fogo aos corpos.

Tailesson é foragido. Diogo, Guilherme e Rodrigo estão recolhidos no sistema prisional.

Leia também
Mercado e restaurante de Arroio do Sal são parcialmente interditados pelo Ministério Público
Procon autua rede de postos de Caxias por anunciar lanches em placas próximo às bombas 

 
 
 
 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros