Ministério Público de Caxias do Sul recorre para aumentar pena de Farenzena - Polícia - Pioneiro

Homicídio21/11/2017 | 16h02Atualizada em 21/11/2017 | 16h02

Ministério Público de Caxias do Sul recorre para aumentar pena de Farenzena

Na segunda-feira, o réu foi sentenciado a 16 anos de reclusão

Ministério Público de Caxias do Sul recorre para aumentar pena de Farenzena Diogo Sallaberry/Agencia RBS
Foto: Diogo Sallaberry / Agencia RBS
Pioneiro
Pioneiro

O Ministério Público (MP) de Caxias do Sul irá recorrer para aumentar a pena de Eduardo Farenzena, 31 anos, pelo assassinato do padrasto dele, Ivandir da Silva Mairesse, 33. Na segunda-feira, o réu foi condenado a 16 anos de reclusão em regime inicialmente fechado. A promotora Sílvia Regina Becker Pinto discordou do cálculo base feito para estipular da pena base, pois a o réu não era primário. Com o recurso, a pena pode ser aumentada em até quatro anos.

Leia mais
Assassino de miss confessa ter matado padrasto em Caxias do Sul
Relembre o caso de Caren Brum Paim, morta por Eduardo Farenzena no final de 2010   
TJ contesta declaração de promotora sobre assassinato cometido por Farenzena em Caxias

A defesa de Farenzena, realizada pelos advogados Ivandro Bitencourt Feijó e Maurício Adami Custódio, também deve interpor recurso hoje sobre a dosimetria da pena. Uma das questões apontadas é que a confissão do réu feita durante o processo não foi considerada.

O Tribunal do Júri terminou por volta das 22h30min de segunda-feira. Aproximadamente 16 pessoas, a maioria estudantes de Direito, acompanharam o julgamento de segunda-feira. Foram ouvidas sete testemunhas e o réu optou por permanecer em silêncio.

Em 2014, o réu já havia sido condenado a 20 anos e três meses de reclusão pelo assassinato da ex-namorada, Caren Brum Paim, 22, em 2010. Caren representava Caxias do Sul no concurso Miss Itália Nel Mondo.

Farenzena, que segue recolhido na Penitenciária Estadual no Apanhador, já cumpriu sete anos de prisão — incluindo 300 dias remidos por trabalho ou estudo. Caso não tivesse sido condenado novamente, ele teria direito de progredir ao regime semiaberto a partir de setembro de 2018. Após os recursos, a nova sentença será somada a atual pena e o cálculo para progressão de regime será refeito.


 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros