Familiares não deram falta de pertences em casa de idosos mortos em Gramado - Polícia - Pioneiro

Investigação25/11/2017 | 14h25Atualizada em 25/11/2017 | 14h25

Familiares não deram falta de pertences em casa de idosos mortos em Gramado

Mesmo assim, Polícia Civil trabalha com a hipótese de latrocínio como principal linha de investigação

O delegado de Gramado Gustavo Barcellos pretende colher a partir do início da semana que vem os depoimentos dos familiares do casal de idosos morto em Gramado nesta sexta-feira, mas a informação preliminar que obteve deles é de que não deram falta de pertences. As informações são da Gaúcha Serra. 

Leia mais
Polícia Civil investiga morte de casal de idosos em Gramado Mulher encontrada morta em Flores da Cunha estava sumida desde quinta-feira Preso suspeito de duplo homicídio em Caxias do Sul Comandante do 12º BPM de Caxias acredita em relação entre incêndio a ônibus e mortes no Primeiro de Maio 

Mesmo com a residência revirada, não foram levados televisores e eletrônicos, por exemplo. Ainda assim, a Polícia Civil trabalha com a hipótese de latrocínio como principal linha de investigação. 

— A casa estava bagunçada, as gavetas estavam no chão e indicam que as pessoas estavam procurando alguma coisa, como dinheiro e jóias. Uma bolsa com a carteira aberta, abandonada no local do crime, também reforça esta linha de investigação — afirmou o delegado.

Mário, de 79 anos, e Julita Wolf, de 76, foram encontrados com perfurações de faca na manhã de sexta-feira, na Rua 1º de Maio, no bairro Várzea Grande. Uma faca foi apreendida na casa. O enterro será neste sábado, às 16h30min, no cemitério da comunidade de Serra Grande, no interior de Gramado.

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros