Comandante do 12º BPM de Caxias acredita em relação entre incêndio a ônibus e mortes no Primeiro de Maio - Polícia - Pioneiro

Violência25/11/2017 | 14h00Atualizada em 25/11/2017 | 14h00

Comandante do 12º BPM de Caxias acredita em relação entre incêndio a ônibus e mortes no Primeiro de Maio

Confronto na quinta-feira deixou quatro mortos próximo ao local onde houve ataque ao veículo do transporte coletivo urbano 

Comandante do 12º BPM de Caxias acredita em relação entre incêndio a ônibus e mortes no Primeiro de Maio Paulo Trevisan/divulgação
Ônibus ficou totalmente destruído e será periciado pela polícia Foto: Paulo Trevisan / divulgação
Pioneiro
Pioneiro

Em entrevista à Rádio Gaúcha Serra na manhã deste sábado, o comandante do 12º Batalhão de Polícia Militar (12ºBPM), em Caxias do Sul, major Jorge Emerson Ribas, disse acreditar que o incêndio ao ônibus na noite desta sexta-feira, no Jardim América, tem relação com o confronto que deixou quatro criminosos mortos na manhã de quinta, no bairro Primeiro de Maio. 

— Não podemos afirmar com convicção, porque os próprios indivíduos (presos), em um primeiro momento, negaram, o que é bastante comum. Mas nós temos razões para crer que, sim, há uma vinculação entre o incêndio e as quatro mortes ocorridas, não só pela proximidade do local, mas também por outras informações que nós temos. Possivelmente exista relação entre os dois casos  — declarou durante o programa Gaúcha Hoje. 

Leia mais
Criminosos colocam fogo em ônibus da Visate e três pessoas ficam feridas em Caxias 
"Quando enxerguei os litros de gasolina, me desesperei", disse vítima do incêndio a ônibus em Caxias do Sul
Suspeitos assumem autoria de ataque a ônibus em Caxias do Sul
Motorista ferido em incêndio a ônibus, em Caxias do Sul, segue internado

Ainda conforme o major Ribas, um dos homens presos menos de duas horas após o ataque, estava em liberdade provisória. Ele havia sido liberado do sistema prisional na sexta-feira da semana passada. Ele espera que a investigação consiga responsabilizar a dupla e que os criminosos permaneçam detidos "por um bom tempo".

O comandante lamentou o episódio e destacou que o problema da insegurança deve ser combatido também com ações preventivas: 

— Nós sabemos que nas regiões normalmente degradadas, onde existe um baixo índice de urbanização, a violência acaba se instalando, o tráfico de drogas acaba se instalando. É muito difícil e praticamente impossível de ser resolvido somente com ações policiais. É preciso envolvimento de vários atores e o ideal é que sempre tivesse um investimento na prevenção e não na repressão. 

Tentativa de homicídio e dano ao patrimônio

Cerca de 15 policiais militares participaram das buscas aos suspeitos nas redondezas da Avenida Brasil, onde o coletivo foi incendiado, por volta das 22h desta sexta-feira. Depois do ato, os criminosos fugiram por entre as casas. Com a ajuda de moradores que indicavam o percurso feito pelos bandidos, os policias conseguiram localizar um deles escondido sobre a laje da casa onde mora, no bairro Jardelino Ramos. Outro, foi achado embaixo de uma residência, perto dali. 

Alef da Silva, 24 anos, e Luis Felipe Freitas de Souza, 20, foram autuados em flagrante por roubo a transporte coletivo. Eles também devem responder por tentativa de homicídio e dano ao patrimônio durante a investigação. Nenhum objeto que pudesse ter sido usado no ataque nem os celulares roubados foram encontrados com a dupla. Outros dois suspeitos estão sendo procurados.

Silva e Souza foram levados até a Delegacia de Polícia de Pronto-Atendimento. Eles não admitiram relação entre o ataque ao coletivo e a morte de quatro homens em confronto com a Brigada Militar no bairro Primeiro de Maio, na última quinta-feira. 

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros