Após flagrantes de drogas e bebidas alcoólicas, Susepe realiza revista no Presídio Estadual de Bento Gonçalves - Polícia - Pioneiro

Operação Pente-fino09/11/2017 | 08h48Atualizada em 09/11/2017 | 10h02

Após flagrantes de drogas e bebidas alcoólicas, Susepe realiza revista no Presídio Estadual de Bento Gonçalves

Semana foi marcada por denúncias de ilícitos no pátio da casa prisional

Após a divulgação de imagens do consumo de drogas e produção de bebidas alcoólicas no pátio do Presídio Estadual de Bento Gonçalves, a Superintendência dos Serviços Penitenciários (Susepe) realiza uma revista geral na casa prisional na manhã desta quinta-feira. A operação pente-fino conta com a participação de 21 agentes do Grupo de Ações Especiais da Susepe (Gaes) e 30 servidores da 7ª Delegacia Penitenciária Regional (7ª DPR), além do apoio da Brigada Militar (BM) para contenção externa.

Leia mais
BM prende quadrilha após roubo a residência em Caxias do Sul
Três semanas após a interdição, nenhum preso foi transferido do presídio de Bento Gonçalves

O Presídio Estadual de Bento Gonçalves está interditado desde o dia 21 de setembro devido à superlotação. A decisão judicial estabeleceu um limite de 192 detentos recolhidos no regime fechado e determinou a realização de transferências. No entanto, a Susepe ainda não encontrou outras casas prisionais para enviar os presos e nada mudou. Atualmente, o presídio abriga 330 apenados nos regimes fechado e semiaberto.

De acordo com a 7ª DPR, a revista geral é uma ação de rotina e está dentro do planejamento ordinário.

— Também em função de acontecimentos no presídio, mas o foco é apreensão de ilícitos. Veio de encontro com acontecimentos recentes, mas esta revista geral já estava programada há 30 dias — aponta o delegado substituto Marco Antônio da Silva.

Na quarta-feira, um vídeo circulou nas redes sociais mostrando apenados dividindo e consumindo cocaína no pátio do presídio de Bento Gonçalves. No início da semana, uma foto já havia sido divulgada mostrando diversas garrafas fermentando uma espécie de bebida alcoólica ao sol.

 No dia 18 de outubro, um princípio de rebelião foi contornado pela direção da casa. Com chutes nas portas e muitos gritos,  os detentos exigiram a presença do diretor José Márcio da Rosa de Oliveira por estarem insatisfeitos com a dinâmica na casa prisional.  Outro tumulto ocorreu em 2 de novembro, quando os detentos se recusaram a voltar as celas antes de falar com os diretores. As exigências feitas pelos apenados não foram divulgadas na ocasião. 

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros