Morre homem que polícia suspeita ter sido vítima de tentativa de homicídio em hospital de Vacaria - Polícia - Pioneiro

Investigação10/10/2017 | 15h15Atualizada em 10/10/2017 | 15h15

Morre homem que polícia suspeita ter sido vítima de tentativa de homicídio em hospital de Vacaria

Mulher foi flagrada com seringa na mão próximo ao companheiro na noite de 18 de setembro

Morre homem que polícia suspeita ter sido vítima de tentativa de homicídio em hospital de Vacaria Polícia Civil / Divulgação/Divulgação
Material apreendido durante a prisão da companheira da vítima Foto: Polícia Civil / Divulgação / Divulgação

Morreu na madrugada de segunda-feira, no Hospital Nossa Senhora da Oliveira, em Vacaria, Antonio Ribeiro Borges, de 77 anos. A Polícia suspeita que ele tenha sido vítima de uma tentativa de homicídio pela companheira, de 56 anos, quando já estava hospitalizado. Ele havia dado entrada cerca de dois dias antes com um quadro de insuficiência respiratória.

Leia mais
Mulher é presa por tentativa de homicídio ao tentar aplicar substância no marido em hospital de Vacaria

Na noite do dia 18 de setembro, uma enfermeira percebeu que a mulher estava com uma seringa na mão e o acesso do soro por uma veia do pescoço exposto. Metade da seringa estava com um líquido. A enfermeira chamou colegas e a Brigada Militar foi acionada. A mulher foi presa em flagrante por tentativa de homicídio. Dias depois, ela foi solta.

Conforme o delegado Anderson Spier, a mulher não dava respostas às perguntas que a polícia fazia, mas falava de outros assuntos. Spier solicitou um exame de sanidade mental da suspeita e também laudos sobre a substância contida na seringa, além de exame do sangue do homem. 

Dependendo do resultado dos exames, a mulher poderá ser indiciada por tentativa de homicídio, se houver comprovação de que havia substância venenosa na seringa, e até por homicídio, se for comprovada ligação com a morte da vítima. Ou ainda, a suspeita poderá não ser responsabilizada, caso a substância seja considerada imprópria para matar, segundo o delegado. Nessa situação, o caso seria considerado "crime impossível". 

A suspeita do delegado é que a mulher tenha sido motivada por questão financeira, em função da herança do homem. Ele solicitou acesso a um testamento que o homem teria deixado para a mulher e também a quebra do sigilo financeiro da vítima, mas ainda não obteve essas informações.

Os dois foram companheiros por 10 anos, conforme a polícia. Há três anos, ele sofreu um AVC e a mulher passou a viver junto com ele para cuidá-lo.

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros