Homem teria esquartejado namorada após ser preso por tráfico em Caxias do Sul - Polícia - Pioneiro

Vers?o mobile

 
 

Delegacia de Homicídios29/09/2017 | 15h32Atualizada em 29/09/2017 | 16h14

Homem teria esquartejado namorada após ser preso por tráfico em Caxias do Sul

Vítima denunciou violência doméstica e policiais encontraram drogas com o homem

Homem teria esquartejado namorada após ser preso por tráfico em Caxias do Sul Diogo Sallaberry/Agencia RBS
Corpo foi encontrado na Barragem da Maestra na manhã do dia 6 de setembro Foto: Diogo Sallaberry / Agencia RBS

A mulher encontrada esquartejada em Caxias do Sul foi identificada pelo Instituto Geral de Perícias (IGP) em 19 de setembro, no entanto a Delegacia de Homicídios manteve o nome em sigilo para elucidar detalhes do crime. Ana Paula Taffarel, 28 anos, é natural de Horizontina e morava no bairro Serrano. De acordo com a investigação, ela foi assassinada pelo companheiro, Alessandro Barbosa, 31. Nesta sexta-feira, o investigado conseguiu escapar de uma ação policial em Lages (SC) e passou a ser considerado um foragido da justiça.

Leia mais
Mulher é esquartejada e pedaços do corpo são encontrados na Barragem da Maestra, em Caxias do Sul
Mulher que foi esquartejada em Caxias é identificada

A motivação do crime seria uma prisão ocorrida em 18 de junho. Na ocasião, a Brigada Militar (BM) foi acionada por Ana Paula para atender um caso de violência doméstica na Rua João Alexandre Souza. Durante o atendimento, os policiais descobriram que a residência do casal era um ponto de tráfico e Barbosa foi preso em flagrante. Na ocasião, foram apreendidas 22 porções de maconha (pesando 88 gramas) e 24 pedras de crack (4,5 gramas), além de diversos objetos sem procedência e três motocicletas.

Ana Paula Taffarel é natural de Horizontina e morava no bairro SerranoFoto: Reprodução

De acordo com o delegado Rodrigo Kegler Duarte, após ser solto por meio de um habeas corpus, Barbosa voltou a casa da vítima e matou Ana Paula com dois tiros na cabeça. Na sequência, utilizou facas, um machado e um facão para esquartejar a namorada. 

Alessandro enrolou o corpo e os instrumentos utilizados no esquartejamento em cobertores e os arremessou na represa Portal da Maestra. A intenção era que o pacote permanecesse submerso e o crime não fosse descoberto. No entanto, o plano não deu certo e o assassinato foi descoberto na manhã do dia 6 de setembro por um funcionário da Vigilância Ambiental do Serviço Autônomo Municipal de Água e Esgoto (Samae) que avaliava a qualidade da água.

Após arremessar o corpo na represa, Barbosa retornou para a casa da vítima, retirou todos seus pertences pessoais e colocou fogo na residência. O acusado fugiu para Santa Catarina na cidade em que seus pais moram.

Alessandro Barbosa, 31 anos, conseguiu fugir da ação policial em Santa CatarinaFoto: Divulgação

Cinco dias após a descoberta do assassinato, Barbosa foi preso em Lages após efetuar disparos de arma de fogo em via pública. A arma apreendida pela Polícia Militar catarinense provavelmente é a que foi utilizada no assassinato de Ana Paula. O delegado Duarte já solicitou à Justiça a remessa da arma para Caxias do Sul como prova do crime investigado.

Além de tráfico de drogas e violência doméstica, Barbosa possui antecedente por furto de veículo. Ele está com a prisão temporária decretada pela Justiça devido ao assassinato de Ana Paula.

 
 
 
 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros