Após 30 dias, reforço de soldados da BM é exaltado por moradores de Caxias do Sul - Polícia - Pioneiro

Polícia25/08/2017 | 08h00Atualizada em 25/08/2017 | 08h00

Após 30 dias, reforço de soldados da BM é exaltado por moradores de Caxias do Sul

50 novos Policiais Militares atuam no município desde julho

Após 30 dias, reforço de soldados da BM é exaltado por moradores de Caxias do Sul Porthus Junior/Agencia RBS
Foto: Porthus Junior / Agencia RBS

Quem circulou pelo centro de Caxias do Sul nos últimos 30 dias deve ter reparado uma presença policial há muito tempo não vista. A ostensividade na área mais movimentada da cidade foi a primeira missão dos 50 novos soldados da Brigada Militar (BM) que chegaram em julho. Se o reforço não resolve a criminalidade — o número de PMs não corresponde à metade do que foi perdido pelo 12º Batalhão de Polícia Militar (12ª BPM) nos últimos quatro anos — a nova turma mostra a intenção do governo estadual de investir em recursos humanos para as polícias gaúchas.

A estratégia inicial, definida pela Secretaria Estadual de Segurança Pública (SSP), foi que os novos PMs fossem empregados no patrulhamento a pé. Em Caxias, os 50 soldados foram divididos em duas turmas, uma para manhã e outra para tarde, e espalhados em duplas pelo Centro e os bairros São Pelegrino, Rio Branco, Lurdes e Cruzeiro. A proximidade policial aliviou a rotina de moradores e lojistas da região. O Sindicato do Comércio Varejista (Sindilojas) ressalta que, há anos, esta era a principal reivindicação dos seus mais de mil associados.

 — Todo o comércio percebeu (o reforço). Esta presença inibe (delinquentes) e dá sensação de segurança. Quanto mais policiais estiverem nas ruas, melhor a comunidade vai estar. Mesmo que seja apenas um PM, já será uma melhora considerável. Ainda mais se estiver visível em um ponto estratégico, como está ocorrendo — elogia o presidente da entidade, Sadi João Donazolo.

Crítica da falta de efetivo policial na cidade, a vereadora Paula Ioris (PSDB) exalta a diferença que o reforço fez na rotina da comunidade. Ela destaca que a sensação de segurança se espalha pela cidade, afinal moradores de outros bairros precisam passar pelo Centro para trabalhar ou estudar.

— Recebi vários depoimentos do quanto é bom ver policiais nas ruas. As pessoas querem essa proximidade. A vinda destes policiais melhorou nossa realidade, que estava muito prejudicada. Reconheço o que recebemos, mas ainda precisamos de mais.

Para os moradores da área central, o ponto chave é os policiais estarem a pé. Eles exaltam o convívio das últimas semanas e torcem pela continuidade da estratégia.

— Acho que todos viram (os policiais), né? É bom ver os brigadianos, as pessoas se sentem mais seguras. Era algo que não acontecia há anos. As pessoas eram assaltadas na Praça Dante (Alighieri) em plena tarde. Estávamos abandonados. Espero muito que os policiais continuem a fazer parte da nossa rotina — comemora Helena Martins, presidente da Associação de Moradores do Centro. 

Leia mais
Processo seletivo para UPA de Caxias tem cerca de mil inscritos
Acidente deixa dois mortos em Gramado
Prefeitura de Caxias extingue prazo para início de fiscalização de feirantes

O estágio operacional dos novos PMs, conforme anunciado na chegada da turma, continuará por outros 30 dias. Após, 10 destes soldados irão reforçar os batalhões de Farroupilha e Gramado. Apesar da redução do efetivo, o major Ribas garante a continuidade da presença ostensiva na área central até o final do ano. 

— Hoje, estamos com 100% deste efetivo empregado na rua, mas logo eles têm direito a férias. Também temos carências em outros segmentos do batalhão, como motocicletas que não são empregadas por falta de piloto, e o Ciosp (Centro Integrado de Operações de Segurança Pública), que está no limite de efetivo. São locais que teremos que destinar parte deste reforço — revela Ribas.

Foto: Porthus Junior / Agencia RBS

Resposta aos pequenos delitos

O  comando do 12ª BPM ainda não tem estatísticas para mensurar o efeito do reforço, pois os dados são fechados no final do mês. Mas o major Jorge Emerson Ribas acredita que haverá uma redução natural, principalmente em termos de roubo a comércio, furto e roubo a pedestre. O comandante, no entanto, acredita que o mais importante é a repercussão positiva no convívio comunitário:

— Está superando nossas expectativas. Eu mesmo, passando pelo Centro, tive a impressão de estar em um país de primeiro mundo. Ver tantos policiais jovens, atentos e bem postados. Me lembrou a polícia chilena, os Carabineiros, polícia militarizada que é referência em termos de organização, disciplina e ética.

O maior número de policiais militares nas ruas circulando também afetou a rotina no plantão da Polícia Civil. Houve uma maior apresentação de detidos, principalmente por posse de entorpecentes.

— É o resultado desta atuação no Centro e nos parques. A presença dos policiais durante o dia inibe crimes com roubos e furtos, pois o ladrão desiste de praticar o crime e desta forma não há o flagrante. Nas demais contravenções, que precisam desta presença policial (para serem descobertas), percebemos um aumento — aponta o delegado Vitor Carnaúba, titular da Delegacia de Polícia de Pronto Atendimento (DPPA).

A BM também ressalta a pronta resposta a crimes de furto no comércio. Um exemplo foi o homem flagrado quando deixava uma ótica com um óculos escondido na cueca. O major Ribas destaca que a repressão e prevenção destes crimes menores eram um desafio para a BM, mas, pelo fato dos novos soldados já estarem no Centro, se tornaram prisões.

— Exalto porque acho que precisamos dar encaminhamentos a estes pequenos delitos, porque a tendência é agravar e pulverizar para outros crimes. Esta repressão imediata é muito positiva para o nosso trabalho e saudável para nossa sociedade — salienta o comandante do 12º BPM.



 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros