Polícia Civil conclui que motoboy foi assassinado após fofoca em Caxias do Sul - Polícia - Pioneiro

Violência21/07/2017 | 14h50Atualizada em 21/07/2017 | 19h39

Polícia Civil conclui que motoboy foi assassinado após fofoca em Caxias do Sul

Após saber de comentário, rapaz de 23 anos preparou emboscada no bairro Vila Ipê

Polícia Civil conclui que motoboy foi assassinado após fofoca em Caxias do Sul Reprodução/
Anderson Gimenes Fernandes, 23 anos, foi indiciado por homicídio qualificado Foto: Reprodução

A Polícia Civil de Caxias do Sul concluiu que o motoboy Ricardo Barbosa Pires, 23 anos, foi assassinado após uma fofoca. De acordo com a investigação da Delegacia de Homicídios, o rapaz teria dito a um conhecido, em tom de brincadeira, que um motociclista do bairro onde morava deveria morrer. A sentença de Pires se referia a Anderson Gimenes Fernandes,23, que circulava na Zona Norte com uma motocicleta barulhenta. Foi o que bastou.

Leia mais
Jovens são alvejados a tiros em frente a estabelecimento em Caxias do Sul
Polícia Civil comprova que homicídio no Euzébio Beltrão de Queiróz, em Caxias, foi ordenado por facção
Morador do Reolon, em Caxias do Sul, foi assassinado em caso de justiça com as próprias mãos

Ao ficar sabendo do comentário, Fernandes sentiu-se ofendido e preparou uma emboscada em frente a uma casa de lanches: o motoboy levou tiros quando realizava uma entrega. Baleado quatro vezes na Avenida Antonio Andrighetti, no bairro Vila Ipê, Pires morreu antes de receber socorro. O crime ocorreu em 8 de novembro de 2016, mas o inquérito foi concluído nesta semana com o indiciamento de Fernandes por homicídio qualificado.Testemunhas relataram que os tiros partiram de uma motocicleta tripulada por dois homens, que fugiram após o assassinato.

— Segundo consta, a vítima falecida estava com um sujeito, viu o indiciado passar com uma moto barulhenta e falou brincando "tem que matar esse cara". Esse cara que ouviu foi e contou para o Fernandes, que matou Pires. Morreu por uma fofoca — relata o delegado Rodrigo Kegler Duarte, titular da Delegacia de Homicídios.

O motoboy Ricardo Barbosa Pires foi assassinado em 8 de novembro de 2016 Foto: Reprodução

A Polícia Civil não representou pela prisão preventiva do investigado porque todos os indícios de autoria são indiretos. A investigação não encontrou testemunhas que viram Fernandes atirando, apenas que relaram que o indiciado estava monitorando a vítima momentos antes do crime. Assim, Fernandes responde ao processo em liberdade.

O indiciado possuía apenas um antecedente, quando foi preso em flagrante por porte ilegal de arma de fogo em 24 de abril de 2016. O outro tripulante da motocicleta não foi identificado. A arma utilizada no crime não foi encontrada durante a investigação.

 
 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros