Preso após balear idoso em Caxias já havia sido flagrado em um roubo de carro no ano passado - Polícia - Pioneiro

Reincidência22/06/2017 | 14h46Atualizada em 22/06/2017 | 14h49

Preso após balear idoso em Caxias já havia sido flagrado em um roubo de carro no ano passado

Em setembro de 2016, Thiago Hudson Chemello dos Santos foi capturado após atirar contra policiais militares

Preso após balear idoso em Caxias já havia sido flagrado em um roubo de carro no ano passado Divulgação/
Thiago Hudson Chemello dos Santos, 22 anos Foto: Divulgação

Preso após balear um idoso na noite de quarta-feira, Thiago Hudson Chemello dos Santos, 22 anos, já havia sido flagrado em um outro roubo de carro em Caxias do Sul no dia 12 de setembro de 2016. Na ocasião, ele foi apontado como o caroneiro de uma Tucson roubada que efetuou diversos tiros contra a Brigada Militar (BM) durante uma perseguição na Rota do Sol. O processo sobre este caso está em trâmite na 1ª Vara Criminal como tentativa de homicídio contra os PMs. Chemello foi beneficiado com a liberdade provisória em 5 de dezembro.

Leia mais
"Ele reagiu para não ser morto", afirma familiar de idoso baleado em Caxias
Número de roubos de carros dispara em 2017 e assusta população de Caxias
Metade das vítimas de latrocínio em Caxias foram mortas durante roubos de veículos

Naquele crime, dois bandidos surpreenderam a vítima que chegava em casa no bairro Cidade Nova, por volta das 22h, e fugiram levando uma Tucson de cor prata. A Brigada Militar (BM) foi acionada e encontrou a caminhonete no trevo de acesso a Monte Bérico, junto de um Vectra preto que teria auxiliado o assalto. Houve perseguição e o caroneiro da Tucson efetuou diversos disparos de arma de fogo, que foram respondidos pelos policiais.

Os criminosos conseguiram despistar os policiais por alguns minutos e, na sequência, a Tucson foi encontrada abandonada após colidir em um barranco. Dentro da caminhonete foi apreendido um revólver calibre .38 que havia sido furtado em 1995. Mais a frente, o Vectra preto foi abordado e dois homens foram presos em flagrante: Ederson Pires Domingues e Edson Adriano dos Santos foram identificados como os motoristas dos dois veículos perseguidos.

Enquanto a ocorrência era registrada na Polícia Civil, uma outra guarnição prendeu o terceiro envolvido no roubo da Tucson. Chemello foi encontrado dentro de um táxi e portava munições de calibre .38.

O inquérito policial deste caso foi concluído pela Delegacia de Furtos, Roubos, Entorpecentes e Capturas duas semanas após o crime. Um mês e meio depois, em 10 de novembro, Ederson Domingues recebeu a liberdade provisória. O segundo beneficiado foi Thiago Chemello, em 5 de dezembro. Cinco dias depois, Edson Santos também retornou as ruas.

Não há registros que os comparsas de Thiago Chemello no roubo da Tucson tenham se envolvido em outros crimes após receberem a liberdade provisória.

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros