Operação Fratelli indicia facção criminosa que domina o tráfico em cinco bairros de Caxias do Sul - Polícia - Pioneiro

Polícia Civil18/04/2017 | 12h41Atualizada em 18/04/2017 | 17h46

Operação Fratelli indicia facção criminosa que domina o tráfico em cinco bairros de Caxias do Sul

A associação domina a venda de drogas em cinco bairros da cidade: Planalto, Reolon, Santa Fé, Pioneiro e Cinquentenário II

Operação Fratelli indicia facção criminosa que domina o tráfico em cinco bairros de Caxias do Sul Polícia Civil / Divulgação/Divulgação
Foto: Polícia Civil / Divulgação / Divulgação

Pela primeira vez, a Polícia Civil e o Ministério Público (MP) confirmam oficialmente que há uma facção criminosa operando em Caxias do Sul. A associação, que reúne alguns dos principais traficantes denunciados nos últimos anos, domina a venda de drogas em cinco bairros da cidade: Planalto, Reolon, Santa Fé, Pioneiro e Cinquentenário II. O tumulto na Penitenciária Estadual, no Apanhador, na manhã desta terça-feira, é uma das consequências da Operação Fratelli I, que indiciou 19 pessoas por associação criminosa e recomendou a transferência de 13 detentos.

A base da facção estava na Galeria A da Penitenciária do Apanhador, onde dominava e traficava, conforme apontado na Operação Fratelli II, divulgada na segunda-feira com 28 denunciados pelo MP. A investigação foi batizada com o termo italiano "irmãos", em referência ao nome da facção criminosa.

A Polícia Civil aponta Daniel Gomes Paim, 34 anos, como o líder da quadrilha. Em novembro de 2016, ele foi capturado pela Polícia Militar de Santa Catarina. Na ocasião, foram apreendidos um fuzil, drogas e um colete balístico, além de um estatuto do Primeiro Comando da Capital (PCC), famosa facção criminosa de São Paulo. Questionado pela Polícia Civil de Criciúma, em depoimento gravado, Paim negou relação com o PCC e disse fazer parte de uma facção criminosa de Caxias do Sul.

Investigação interceptou imagens divulgadas pela facção em redes sociais Foto: Polícia Civil / Divulgação

De acordo com a investigação, o surgimento desta facção criminosa remete a interdição do Presídio Regional de Caxias do Sul, a antiga Penitenciária Industrial (Pics), em 2009. Na ocasião, alguns detentos considerados de alta periculosidade foram transferidos para cadeias da Região Metropolitana. A medida funcionou como um intercâmbio para estes detentos, entre eles Michel De Souza Da Silva, o Michelzinho, 30, que tiveram contato com facções criminosas de Porto Alegre e copiaram seu modo de operação.

— É uma organização do crime que antes agia cada um por si. Eles chegam no ponto de tráfico e exigem o controle, oferecendo drogas e segurança. O traficante de bairro começa a vender a droga da facção ou é morto. Esta facção domina os pontos, cresce e organiza toda a criminalidade. Perceberam que desta forma organizada dá mais lucro — explica o delegado regional Paulo Roberto Rosa da Silva.

Os 13 transferidos da Penitenciária Estadual, no Apanhador, nesta terça-feira:
:: Daniel Gomes Paim, o Paim
:: Michel De Souza Da Silva, o Michelzinho
:: Edenilson Reduzino Alves, o Nilsinho 
:: Jeferson da Silva, o Jé do Reolon
:: Alan Robson Livinalli Lora, o Alan
:: Jilcimar Walter, o Boy
:: Cristiano Gubert, o Bruxo
:: Daniel de Souza Teles, o Viga
:: Gilberto Cardoso, o Fala Fina
:: Ederson Varela dos Santos
:: Anderson Lima Miranda, o Mirandinha
:: Jeferson Luiz Camilo Betim, o Conte
:: José Adair Tubia Pires, o Zé

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros