Declaração de oficial da BM sobre insegurança em Caxias repercute nas redes sociais - Polícia - Pioneiro

Vers?o mobile

 
 

Insegurança17/05/2016 | 20h25Atualizada em 18/05/2016 | 09h03

Declaração de oficial da BM sobre insegurança em Caxias repercute nas redes sociais

Tenente-coronel Ronaldo Buss afirma que é o WhatsApp e o Facebook que causam medo desproporcional na população

Declaração de oficial da BM sobre insegurança em Caxias repercute nas redes sociais Rodrigo Rossi/Divulgação
Audiência Pública foi organizada pela Comissão de Direitos Humanos, Cidadania e Segurança de Caxias do Sul Foto: Rodrigo Rossi / Divulgação
Pioneiro
Pioneiro

A declaração do comandante do 12º Batalhão de Polícia Militar (BPM) de que não existe sensação de insegurança em Caxias do Sul repercutiu nas redes sociais. O tenente-coronel Ronaldo Buss expôs a opinião durante uma audiência pública na Câmara de Vereadores, na segunda-feira. Na fala, o comandante atribuiu a responsabilidade pela sensação de insegurança à mídia. Porém, o oficial afirma que não se referiu aos meios de comunicação como rádio, jornal ou TV. Para ele, a falsa sensação de insegurança é propagada pelas redes sociais.

—Eu disse que os meios de comunicação como WhatsApp e Facebook, por não terem um necessário filtro, geram uma sensação de medo desproporcional —ressaltou Buss.

Na página do Pioneiro no Facebook, 123 pessoas discordaram da opinião do oficial.

— Sensação de medo já deixou de existir há muito tempo, o que existe é o medo real. As pessoas estão mudando as rotinas diárias, estão saindo em grupo, mudando itinerários e com pressa para chegar em casa — relatou Marcelo Schmitz, por exemplo.

Em outro comentário, uma internauta resumiu a insegurança sentida em Caxias.

— Para toda a população de bem, que precisa sair de casa para trabalhar ou até para ir na esquina comprar pão, o medo já tomou conta faz tempo — afirmou Camila Fernanda Fernandes.

Em entrevista por Skype para um canal britânico no final do ano passado e publicada pelo jornal Zero Hora, a psicóloga norte-americana Pamela Rutledge, do Media Psychology Research Center (Centro de Pesquisa de Mídia e Psicologia), afirmou que as redes sociais podem servir como alerta sobre os crimes de determinada cidade.

— Eu acho interessante quando dizem que a mídia traz apenas notícias ruins. Pois bem, são as notícias ruins que capturam a atenção do público, pois desafiam nossa sensação de sobrevivência e segurança. Notícias boas seriam um luxo. Em outras palavras, se há perigo, precisamos saber, para garantir a própria sobrevivência — reforçou Rutledge.

Prisões
Buss também afirmou que a informação divulgada na audiência de que 30 pessoas são presas todos os dias não pertence à Brigada Militar. O dado teria sido divulgado pela Polícia Civil.

 
 
 
 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros