Idosa é morta em tiroteio na Rota do Sol, em Caxias do Sul - Polícia - Pioneiro

Vers?o mobile

 
 

Perseguição27/12/2015 | 12h32

Idosa é morta em tiroteio na Rota do Sol, em Caxias do Sul

Homem que dirigia o carro onde a vítima estava também foi baleado

Idosa é morta em tiroteio na Rota do Sol, em Caxias do Sul  Jonas Ramos/Agencia RBS
C3 foi abandonado em estrada vicinal Foto: Jonas Ramos / Agencia RBS

Uma idosa foi morta e um homem ficou ferido durante uma perseguição na Rota do Sol (RSC-453), em Caxias, durante a manhã deste domingo. O caso aconteceu por volta das 10h. A vítima fatal foi identificada como Santa Elisia Cortez Alonso, de 62 anos. Ela estava no banco de trás do C3 dirigido por Andrigo Gabriel de Melo, 28, o outro baleado.

Confira as últimas notícias do Pioneiro

Havia ainda outra mulher no banco do carona do veículo, que ficou ilesa aos disparos. Ela não quis se identificar, mas conta que a perseguição começou na rodovia, com tiros que vinham de um automóvel Corolla.

— Só não morri mesmo porque não era a minha hora — disse a mulher de 31 anos.

A testemunha é proprietária do carro (com placas de Cascavel) e contou que a idosa morta era sua amiga, ambas moram no bairro Bela Vista. Na manhã deste domingo, a mulher sobrevivente ao ataque teria pedido a Andrigo que as levasse até o presídio do Apanhador, onde Santa Elisia visitaria um filho que é apenado. Na volta, eles notaram que estavam sendo perseguidos.

Os tiros começaram próximo ao km 150 da rodovia, a poucos metros da empresa Acrilys. Quando Andrigo constatou o ataque, entrou numa estrada vicinal, onde conseguiu deixar o veículo e fugir. Ele foi atingido, mas socorrido até o Hospital Pompéia, onde permanece internado. Santa Elisia levou um tiro nas costas e morreu dentro do carro. Ela era professora do município. Andrigo está em liberdade, mas tem vários antecendentes criminais, de acordo com a Brigada Militar. 

A ocorrência foi atendida pelo delegado plantonista Ives Trindade, que suspeita de um acerto de contas. 

— Pelo que contamos, foram mais de 16 tiros contra o carro. Eles estavam com armas de grosso calibre: 12, 45 e 9 milímetros — afirmou.

A estrada onde o C3 ficou parado tem apenas dois terrenos, um deles é o da família de uma idosa de 67 anos (identidade preservada). Ela estava estendendo roupas quando ouviu os disparos. 

— Eu vi um homem descer correndo e pensei que ele estava fugindo da polícia, quase fui na tela (grade) para ver melhor. Daí começou muitos tiros e eu chamei meu marido para dentro — contou ela, mostrando que um dos tiros chegou a derrubar o galho de uma árvore do quintal da família.

A polícia vai investigar o caso.

 
 
 
 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros