Sábado em Caxias é marcado por manifestações antirracistas e homenagens a homem morto em Porto Alegre - Geral - Pioneiro

Versão mobile

 
 

Protestos21/11/2020 | 14h26Atualizada em 21/11/2020 | 15h42

Sábado em Caxias é marcado por manifestações antirracistas e homenagens a homem morto em Porto Alegre

João Alberto Silveira Freitas foi espancado até a morte em supermercado da Capital

Sábado em Caxias é marcado por manifestações antirracistas e homenagens a homem morto em Porto Alegre Juliana Bevilaqua/Agência RBS
Ato na área central de Caxias reuniu dezenas de pessoas Foto: Juliana Bevilaqua / Agência RBS

A manhã deste sábado (21) foi marcada por protestos antirracistas e homenagens a João Alberto Silveira Freitas, o homem negro espancado até a morte na noite de quinta-feira (19) no hipermercado Carrefour, na zona norte de Porto Alegre. 

Leia mais
Morte de homem negro em Porto Alegre reacende a reflexão sobre racismo no Brasil 
Sandra Cecília Peradelles: no Dia da Consciência Negra, um negro inconsciente
Ciro Fabres: Sentiram-se à vontade para fazer o que fizeram

Uma das manifestações começou por volta de 10h na Praça Dante Alighieri e reuniu dezenas de pessoas ligadas a movimentos sociais da cidade. Houve discursos de repúdio à forma violenta como João Alberto foi tratado pelos seguranças do mercado e o desfecho trágico. 

Outros episódios que terminaram na morte de pessoas negras foram lembrados, como a do jovem Aldair Inácio da Silva, então com 20 anos, em 7 de fevereiro de 2015. Ele foi baleado na saída de uma quadra de esportes na Rua Ludovico Cavinatto, no bairro Santa Catarina. Aldair era neto de Juçara Quadros, militante do movimento negro e que estava presente no ato deste sábado. 

Os participantes também confeccionaram cartazes e faixas _ em uma delas estava escrito "Parem de nos matar!" _ acenderam velas em homenagem a João Alberto e fizeram uma caminhada na área central. Seguiram pela Avenida Júlio de Castilhos até a Rua Garibaldi e retornaram à praça pela Sinimbu. A manifestação encerrou por volta de 11h30min. 

Enquanto o protesto ocorria na Dante, outra manifestação era realizada na unidade do Carrefour em Caxias do Sul. Cerca de 15 pessoas ficaram em uma das entradas que dá acesso ao estacionamento do mercado. A manifestação começou por volta das 9h45min e se estendeu por três horas. O protesto pacífico reuniu integrantes de movimentos sociais e do movimento negro.  

Protesto antirracista em Caxias do Sul 21.11.2020
Grupo protestou próximo ao Carrefour na manhã deste sábadoFoto: Flavia Noal / Agência RBS

Os manifestantes portavam cartazes com frases como "vidas negras importam", "parem de nos matar" e "basta de racismo". Frases como "racistas não passarão" foram entoadas pelo grupo, que utilizava instrumentos de som para chamar a atenção de motoristas e passageiros de carros que entravam no estacionamento. A auxiliar de produção Sandra Varela, 42 anos, participou do ato junto com a família:

— Eu quero que ela (a filha criança que participou do ato) cresça sabendo que tem os mesmos deveres e os mesmo direitos que todo mundo — afirmou.  

Conforme a motorista Tatiane Duarte, 34, o grupo decidiu se organizar para o protesto em frente ao Carrefour devido à carga simbólica, já que a morte de Beto ocorreu no supermercado em Porto Alegre: 

— Nós somos mães de filhos negros e queremos que eles possam ir comprar uma água no mercado sem o risco de saírem de lá mortos.  

Imagens gravadas pelos manifestantes, que pretendiam se aproximar do Carrefour, mostram que eles foram orientados por seguranças a ficarem do lado de fora do estacionamento. O supermercado funcionou normalmente na manhã deste sábado (21).   

Leia também
Programe-se: Semana do Hip Hop começa neste sábado em Caxias do Su
Frei Jaime: que a gente não precise das despedidas para lembrar do quanto gostamos de quem está perto
Agricultura continuará sendo bandeira de Velocino Uez, eleito para o segundo mandato na Câmara de Caxias

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros