Para garantir o bom uso das represas de Caxias, placas estragadas vão ser substituídas - Geral - Pioneiro

Versão mobile

 
 

Orientativas17/10/2020 | 13h23Atualizada em 17/10/2020 | 13h23

Para garantir o bom uso das represas de Caxias, placas estragadas vão ser substituídas

Custo será de R$ 189 mil para trocar 61 estruturas

Para garantir o bom uso das represas de Caxias, placas estragadas vão ser substituídas Natalí Gubert / Samae, Divulgação/Samae, Divulgação
Em 150 dias, 61 placas devem ser trocadas Foto: Natalí Gubert / Samae, Divulgação / Samae, Divulgação

As placas estragadas pela ação do tempo ou vandalizadas no entorno de represas de Caxias do Sul vão ser substituídas. O trabalho vai ser feito por uma empresa contratada pelo Serviço Autônomo Municipal de Água e Esgoto (Samae), que deu a ordem de início para a execução nesta semana. 

Em 150 dias, 61 placas devem ser trocadas. O investimento será de R$ 189 mil. A sinalização abrange as represas Dal Bó, Maestra, Faxinal, Samuara, Marrecas, Piaí, Sepultura e Mulada.

A execução do serviço está a cargo da Mega Comunicações. Além de produzir e instalar as novas placas, a empresa terá de retirar as antigas sinalizações. Conforme o diretor-presidente do Samae, Ângelo Barcarollo, esta ação tem o objetivo de garantir a educação da população sobre o uso desses locais. 

As represas são áreas de preservação permanente. É proibido nadar, jogar lixo, queimar vegetação e pescar nesses locais. Após ser captada nas represas e tratada pelo Samae, a água represada chega às torneiras das residências de Caxias. 

Atos de vandalismo podem ser denunciados pela população por meio do telefone 115, que atende 24h.

Leia também
Casos ativos de covid-19 em Caxias do Sul aumentam e fiscalização será reforçada
Terceiro acidente com morte é registrado na Serra neste sábado
Em oito anos, mais de 7 mil casos de sífilis foram registrados em Caxias do Sul

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros