Pandemia pode aumentar casos de diagnóstico tardio para o câncer na Serra - Geral - Pioneiro

Versão mobile

 
 

Outubro Rosa16/10/2020 | 12h01Atualizada em 16/10/2020 | 12h01

Pandemia pode aumentar casos de diagnóstico tardio para o câncer na Serra

Segundo especialistas, queda na procura por exames preventivos e tratamentos tende a acumular casos que terão menor chance de cura

Pandemia pode aumentar casos de diagnóstico tardio para o câncer na Serra Alexandre Brusa / Divulgação/Divulgação
De acordo com especialistas, a baixa de diagnósticos não relf Foto: Alexandre Brusa / Divulgação / Divulgação

Dentre os inúmeros impactos gerados pela pandemia na área da Saúde, está a redução da quantidade de diagnósticos para o câncer. De acordo com especialistas, isso não significa menor incidência da doença, mas trata-se de um resultado da baixa procura por atendimentos que costumam encaminhar os pacientes aos exames de comprovação.

Segundo dados da Sociedade Brasileira de Mastologia, entre março e abril deste ano, houve queda de 70% na procura aos exames preventivos e tratamentos nos hospitais públicos. O reflexo disso vem sendo percebido nas Unidades de Alta Complexidade em Oncologia  (Unacon) que são referência no tratamento da doença para municípios da Serra.

No Hospital Tacchini, de Bento Gonçalves, que atende a pacientes de 22 municípios da região, a partir de março houve redução de demanda em diversos setores, desde a procura por consultas de acolhimento até as três modalidades de tratamento (cirurgia, radioterapia e quimioterapia), conforme relata o diretor do Instituto do Câncer do Tacchini, Fernando Obst.

— Antes a média de espera para consulta na Unacon chegava a ser de 40 dias, agora a lista de espera nem existe, sendo que os atendimentos continuam ocorrendo da mesma forma, apenas adaptados aos protocolos de segurança em relação ao coronavírus. A diminuição nos atendimentos e diagnósticos tem diminuído a demanda por serviços, o que acaba diminuindo, também, as chances de cura do paciente. Todo câncer tem cura, desde que diagnosticado precocemente e tratado de maneira adequada — afirma o médico responsável.

Recomendação é não atrasar exames

No Hospital Geral (HG), de Caxias do Sul, que é referência para municípios da Serra, a redução de atendimentos na Unacon também foi percebida, embora ainda não se tenha um levantamento numérico a respeito. De acordo com a médica oncologista responsável pelos atendimentos de câncer de mama no HG, Janaina Brollo, as flexibilizações estaduais em relação ao distanciamento social têm ocasionado, nas últimas semanas, uma retomada nas consultas. Algo que, segundo ela, tende a revelar casos de câncer que não estavam sendo diagnosticados.

— Estão começando a chegar pacientes em estágios mais avançados e nosso receio é que isso aumente ainda mais nos próximos meses. Ainda não temos dados, mas somente nos casos de câncer de mama, estimamos que os diagnósticos tenham caído mais da metade. É uma das doenças mais incidentes no Brasil, mas que tem alta taxa de cura quando diagnosticada precocemente, por isso é importante que os exames preventivos, como a mamografia, não deixem de ser realizados — destaca a médica.

Leia também
Após 101 dias internado por complicações da covid-19, paciente recebe alta da UTI em Bento Gonçalves

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros