Projeto resgata a história dos imigrantes calabreses - Geral - Pioneiro

Versão mobile

 
 

Memória09/09/2020 | 07h00Atualizada em 09/09/2020 | 07h00

Projeto resgata a história dos imigrantes calabreses

Intitulada "Quem é Você, Calabrês?", iniciativa pretende contar e chancelar a saga de homens e mulheres que deixaram Morano Calabro, na Itália, para construir um legado no Rio Grande do Sul

Projeto resgata a história dos imigrantes calabreses Acervo de Ricardo Chaves / Divulgação/Divulgação
Leone (de branco) e seu filho Natale (na porta, à esquerda) na casa comercial Napoli, em Porto Alegre, no início do século passado Foto: Acervo de Ricardo Chaves / Divulgação / Divulgação

 O Centro Calabrese do Rio Grande do Sul, em Porto Alegre, quer contar e chancelar a saga dos “calabreses pioneiros”, imigrantes italianos naturais da comuna de Morano Calabro, que chegaram ao Rio Grande do Sul para refazer suas vidas, “lavorar”, constituir família e dar origem a um legado.

A iniciativa, intitulada Quem é Você, Calabrês?, começa com a identificação das primeiras famílias que chegaram ao Estado, o registro das fotos de época e os relatos de vivências. A cada ano, o projeto será atualizado, conforme outros sobrenomes forem identificados e integrados ao trabalho.

— O Quem é Você, Calabrês? entregará, como menção honrosa, um certificado aos familiares dos primeiros migrantes vindos da península itálica para se radicar no sul do Brasil entre o final do século 19 e o início do século 20 — completa o presidente do Centro Calabrese do RS, Jose Antonio Celia.

Além da premiação, um e-book está sendo organizado e será disponibilizado nas plataformas digitais da instituição e também em canal no YouTube.  

O calabrês Nicola di Leone (de branco) e seu filho Natale (na porta, à esquerda) na casa comercial Napoli, em Porto Alegre, no início do século passadoFoto: Acervo de Ricardo Chaves / Divulgação

Origens em Morano

No Rio Grande do Sul, residem mais de 25 mil habitantes de origem calabresa. Muitos são descendentes de imigrantes que vieram de Morano, localidade atualmente com menos de 5 mil habitantes. 

Ilustrando essa página, Nicola di Leone, que foi proprietário da casa comercial Napoli na Rua da Praia, em Porto Alegre (fotos acima). Ele veio de Morano Calabro, com os filhos Natale (foto abaixo) e Concheta, no início do século passado.

Os Di Leone são antepassados do fotógrafo Ricardo Chaves, titular da coluna Almanaque Gaúcho, de Zero Hora - onde estas informações foram originalmente publicadas, em 2 de setembro.

O calabrês Natale di Leone chegou ao Brasil com oito anosFoto: Acervo de Ricardo Chaves / Divulgação
Nicola di Leone (de branco) e seus familiares em Porto AlegreFoto: Acervo de Ricardo Chaves / Divulgação

Participe 

Quem tiver mais informações sobre os calabreses pioneiros no sul do país pode entrar em contato por meio do perfil do Facebook Centro Calabrese do RS ou do Instagram. Também pelo fone (51) 99115.2090 (com Cris Fortte).

Leia mais
Origens da família Formolo em São Virgílio
75 anos juntos: as bodas de brilhante de Agenor e Cecília
Para conter nuvem de gafanhotos em Paraí, em 1947, população fez até promessa na igreja  
Caxias durante a Gripe Espanhola de 1918
Éder D'Agnol dos Santos e a trajetória do fotógrafo Hugo Neumann

Confira outras publicações da coluna Memória
Leia antigos conteúdos do blog Memória  

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros