Por que máquinas ainda não são vistas na construção da passarela do bairro Planalto, em Caxias? - Geral - Pioneiro

Versão mobile

 
 

Novo acesso16/09/2020 | 15h33Atualizada em 16/09/2020 | 15h33

Por que máquinas ainda não são vistas na construção da passarela do bairro Planalto, em Caxias?

Ordem de início da obra foi assinada há um mês

Por que máquinas ainda não são vistas na construção da passarela do bairro Planalto, em Caxias? Porthus Junior/Agencia RBS
Acesso é um dos maiores gargalos no trânsito de Caxias Foto: Porthus Junior / Agencia RBS

Na última segunda-feira (14) completou um mês da assinatura da ordem de início da reformulação do acesso ao bairro Planalto, em Caxias do Sul, com a construção de uma passarela de pedestres. Quem passa pelo ponto, porém, não percebe nenhuma movimentação de trabalhadores, embora o prazo contratual já esteja correndo.

Leia mais
Construção de passarela no acesso ao bairro Planalto, em Caxias, é autorizada
Construção de passarela no bairro Planalto deve iniciar até o final de setembro em Caxias
Após suspensão de edital, duas empresas se candidatam para construir passarela no bairro Planalto, em Caxias 

O motivo para a ausência de máquinas, segundo o secretário do Planejamento, Adivandro Rech, é a necessidade de elaboração de um plano de ação para o trabalho. A avaliação consiste em determinar os impactos que a obra vai causar e definir o que precisa ser realizado para diminuí-los em cada etapa da construção. Um dos principais pontos a serem considerados, por exemplo, está a própria BR-116, por ser uma via arterial com fluxo intenso.

— Nesse tipo de obra, se não for montado um plano de ação, a cidade vira um caos. Nesses casos, o município exige que a empresa apresente um plano — explica o secretário.

Conforme Rech, o plano de ação faz parte dos serviços contratados pelo município, por isso ele costuma ser realizado somente após a assinatura da ordem de início. Entre os pontos que precisam ser considerados antes de começar a movimentar o terreno está o deslocamento da rede elétrica e de gás, além de bloqueios parciais na rodovia. Essas questões são tratadas entre a empresa responsável pela obra, a prefeitura, o Departamento Nacional de Infraestrutura dos Transportes (Dnit), a Polícia Rodoviária Federal (PRF), a Rio Grande Energia (RGE) e a Sulgás.

De acordo com o secretário, não há prazo estabelecido para a entrega do plano de ação, mas a obra, orçada em R$ 6 milhões, tem previsão de conclusão para agosto de 2021. A construção ficará a cargo da empresa Salver Construtora e Incorporadora.

Quando estiver pronta, a BR-116 terá uma faixa de espera de 150 metros para os veículos que entram no Planalto a partir do sentido Ana Rech-Galópolis. Dessa forma, os motoristas precisarão acessar uma nova alça de retorno, que será construída junto ao acostamento do sentido contrário. Já os motoristas que saem do bairro e acessam a Rua Pedro Benjamin Stalivieri, em direção ao bairro Cristo Redentor, poderão cruzar diretamente as pistas da rodovia, ao contrário do que ocorre atualmente, com a utilização de um recuo junto ao canteiro central. Por causa disso, o entroncamento vai ganhar semáforos. A passarela ficará a sete metros de altura em relação à pista e terá estrutura modular. As peças, inclusive, já começaram a ser fabricadas, conforme Rech.

Leia também
Caxias do Sul ultrapassa a marca de 7 mil moradores que já contraíram o coronavírus
Depois de ter sido anunciado em Farroupilha, hospital odontológico começa a ser construído em Caxias
Menina de Caxias do Sul que luta contra um câncer na mandíbula precisa de ajuda para custear exame 

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros