Lojas tradicionalistas calculam perdas irreparáveis para o mês de setembro - Geral - Pioneiro

Versão mobile

 
 

Impacto 16/09/2020 | 15h18Atualizada em 16/09/2020 | 15h18

Lojas tradicionalistas calculam perdas irreparáveis para o mês de setembro

Em dois estabelecimentos consultados pela reportagem, prejuízos vão de 70% a 90% 

Lojas tradicionalistas calculam perdas irreparáveis para o mês de setembro Antonio Valiente/Agencia RBS
Loja Tio Ci completa 19 anos nesta quarta-feira (16), dia em que proprietário calculou perdas de cerca de 70% Foto: Antonio Valiente / Agencia RBS

Prateleiras cheias, mas ambientes vazios de clientes. É desta forma que o proprietário de uma loja localizada no bairro São Pelegrino, em Caxias, define o cenário que enfrenta desde que a pandemia afastou o público do estabelecimento de artigos típicos do tradicionalismo gaúcho. Joacir Fontana, 53 anos, recebeu a reportagem no mesmo dia em que a loja que carrega o nome do seu apelido, Tio Ci, completa 19 anos, nesta quarta-feira (16). Mesmo com o sentimento de comemoração, o desafio do momento não é festejar. Tio Ci calcula perdas de 70% nas vendas, se comparado aos primeiros 14 dias do mês de setembro no ano passado. 

— Era o mês que a gente sobrevivia o ano inteiro. Além disso, as fábricas nem têm estoque. Geralmente as compras terminam em junho, no máximo julho. Faltam cinco dias para terminar a Semana Farroupilha, então esse ano já foi perdido — lamenta o comerciante, que vende pilchas, facas, cuias, bombachas e chapéus em um dos pontos mais conhecidos de Caxias.  

 CAXIAS DO SUL, RS, BRASIL (16/09/2020)Lojas tradicionalistas sofrem perdas devido a pandemia. Joacir Fontana calcula perdas de 70% nas vendas nos 14 dias de setembro comparado a 2019. (Antonio Valiente/Agência RBS)<!-- NICAID(14593165) -->
Joacir Fontana, o Tio Ci, acumula perdas nas vendas com a falta de eventos ligados à Semana FarroupilhaFoto: Antonio Valiente / Agencia RBS

 Se a ausência de programação presencial da Semana Farroupilha já repercute negativamente no setor, outro fator prejudica ainda mais: a falta de atividades relacionadas à data dentro das escolas. Exemplo de quem sente os impactos sem alunos buscando por roupas típicas para alugar ou mesmo comprar são as irmãs Rosa Maria Caldart Lovizon, 67 anos, e Maria Ivone Caldart Sartori, 58. Rosa calcula um prejuízo ainda maior. 

— Para nós, foi um baque muito grande, esperávamos um ano muito melhor. Desde março sentimos a diferença. Se formos comparar com setembro do ano passado, estaríamos vendendo e alugando 90%  a mais. Já teríamos reservas desde julho — conta. 

 CAXIAS DO SUL, RS, BRASIL (16/09/2020)Lojas tradicionalistas sofrem perdas devido a pandemia. Irmãs Rosa Maria Caldart lovizon e Maria Ivone Caldart Sartori têm prejuízos com falta de compra e aluguéis de roupas para eventos tradicionalistas (Antonio Valiente/Agência RBS)<!-- NICAID(14593179) -->
Irmãs Caldart têm prejuízos com falta de compra e aluguéis de roupas para eventos típicosFoto: Antonio Valiente / Agencia RBS

 Ivone cita que o forte do negócio da família são as roupas, já que possuem fabricação própria. Os vestidos de prenda e indumentárias de peão costumavam ser muito solicitados para bailes. Com a baixa, ao menos duas costureiras não receberam mais pedidos. Mesmo assim, Ivone lembra que os últimos dias têm sido de procura para um objetivo atípico: 

— Tivemos pedidos por conta de um pessoal que estava fazendo fotos, book de crianças vestidas (com roupas tradicionalistas). Até estranhamos porque não era comum. Foi algo pontual, mas que deu uma movimentada — afirma. 

 CAXIAS DO SUL, RS, BRASIL (16/09/2020)Lojas tradicionalistas sofrem perdas devido a pandemia. Irmãs Rosa Maria Caldart lovizon e Maria Ivone Caldart Sartori têm prejuízos com falta de compra e aluguéis de roupas para eventos tradicionalistas (Antonio Valiente/Agência RBS)<!-- NICAID(14593174) -->
Vestidos de prenda infantis eram o auge da procura na loja em setembroFoto: Antonio Valiente / Agencia RBS

Não fosse a pandemia, além das programações de festas e eventos, os Pavilhões da Festa da Uva estariam lotados pelo Acampamento Farroupilha, como era de costume. Em Caxias e região, a 25ª Região Tradicionalista tem programação apenas virtual. As atividades podem podem ser acompanhadas nas redes sociais da 25ª RT.


 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros