Empresa que fará recuperação da RS-448, na Serra, será selecionada na próxima semana - Geral - Pioneiro

Versão mobile

 
 

Projeto pronto25/09/2020 | 14h12Atualizada em 25/09/2020 | 14h12

Empresa que fará recuperação da RS-448, na Serra, será selecionada na próxima semana

Obra emergencial custará cerca de R$ 2 milhões

Empresa que fará recuperação da RS-448, na Serra, será selecionada na próxima semana Porthus Junior/Agencia RBS
Leito da RS-448 cedeu em 30 de junho Foto: Porthus Junior / Agencia RBS

A empresa que fará a recuperação do km 39,5 da RS-448, entre Farroupilha e Nova Roma do Sul, será escolhida na próxima semana. O processo de contratação será por meio de pregão eletrônico emergencial, conduzido pelo próprio Departamento Autônomo  de Estradas de Rodagem (Daer). A obra está orçada em cerca de R$ 2 milhões e integra um pacote de R$ 10 milhões destinados pelo governo do Estado para a recuperação de rodovias danificadas durante as chuvas de julho. A liberação dos recursos foi anunciada no início da semana.

Leia mais
Projeto para reconstrução da RS-448 é concluído e liberação parcial pode ocorrer em três meses
Estado garante recursos para recuperação da RS-448, entre Farroupilha e Nova Roma do Sul

De acordo com o diretor geral do Daer, Luciano Faustino, ainda nesta sexta-feira (25) serão finalizados os detalhes orçamentários para a contratação. Após o pregão eletrônico, o resultado precisa passar apenas pelo Conselho de Administração do Daer e pela Procuradoria Geral do Estado, que darão o aval para a assinatura do contrato.

— Esperamos que nas próximas semanas já tenhamos as obras — destaca Faustino.

O projeto prevê a realização de obras em duas etapas para recuperar o leito da via, que cedeu em 30 de junho. A primeira consiste na detonação de rochas da encosta que fica ao lado da estrada. O material será utilizado para recompor as pistas originais. Além disso, também será implantado na base do aterro por onde passa a estrada um dispositivo chamado de chaveta de reforço. A estrutura é formada por pedras de grande porte que, além de dar sustentação ao terreno, também facilitam o escoamento da água, evitando novos desmoronamentos no futuro. Uma vez concluídas essas soluções, o que o Daer prevê que ocorra em três meses, será possível liberar o tráfego de forma parcial. A segunda etapa consiste na implantação de telas metálicas na encosta que será detonada ao lado das pistas, a fim de evitar deslizamentos.

— Esperamos liberar a rodovia antes da safra da uva, que sabemos que é muito importante para a região — observa o diretor.

Além da RS-448, a RS-826 também receberá uma parte dos R$ 10 milhões destinados à recuperação de estradas. A estrada, que liga Farroupilha a Alto Feliz, teve o desmoronamento de parte da encosta que sustenta as pistas. Os danos, porém, atingiram apenas o acostamento, sem necessidade de interrupção de fluxo. Para o problema não se agravar, será realizado um reparo emergencial. Por enquanto, a obra ainda está na fase de definição de projeto e em seguida será elaborado o orçamento. A previsão do Daer é contratar a empresa responsável pela obra ainda neste ano para realizar os reparos no primeiro semestre de 2021.

O anúncio de investimentos nas rodovias contemplou ainda a liberação imediata de R$ 2 milhões para a continuidade da pavimentação da RS-437, entre Nova Roma do Sul e Antônio Prado. Somados aos R$ 2,5 milhões que já haviam sido liberados em maio, será possível pavimentar sete dos 14 quilômetros previstos. Os R$ 8 milhões restantes devem ser incluídos no orçamento do Daer nos próximos anos.

— Estamos desenvolvendo por etapas. Não vamos terminar ela no ano que vem — revela Faustino.

Manutenção na Rota do Sol

Outro anúncio realizado pelo governo do Estado no início da semana foi a manutenção de trechos da Rota do Sol e da RS-020, que serve da acesso a cidades como Cambará do Sul e São Francisco de Paula. Segundo Luciano Faustino, equipes realizam um levantamento dos pontos mais danificados das rodovias para definir onde será realizado a recuperação.

O trabalho consiste na aplicação de remendos, com a retirada do asfalto antigo e aplicação de uma nova camada onde for necessário. No caso da Rota do Sol, os pontos mais danificados ficam entre Tainhas e o Litoral, mas o diretor afirma que o contorno urbano de Caxias do Sul também pode ser contemplado.

As obras serão realizadas por meio dos contratos de conserva em vigor e terão custo estimado de R$ 1 milhão. A expectativa é concluir o trabalho antes do verão, quando o fluxo das rodovias aumenta consideravelmente.

Leia também
Arroz puxa alta da cesta básica no mês de agosto em Caxias
Acesso de mulheres e meninas ao aborto legal é tema de encontro na Serra
Secretaria Estadual da Saúde confirma mais duas mortes por coronavírus na Serra Gaúcha 

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros