Churrascaria Imperador, um clássico de São Pelegrino desde 1970 - Geral - Pioneiro

Versão mobile

 
 

Memória05/09/2020 | 07h00Atualizada em 06/09/2020 | 18h57

Churrascaria Imperador, um clássico de São Pelegrino desde 1970

Restaurante comandado pelas famílias Regalin e Rizzi completa exatos 50 anos neste sábado

Churrascaria Imperador, um clássico de São Pelegrino desde 1970 Reprodução/Divulgação
Anos 1970: Pedro Regalin (D) e Pedro Rizzi (C), idealizadores do Imperador, com o churrasqueiro Remi Cattuzzo Foto: Reprodução / Divulgação

 Um casal de irmãos casou com outro casal de irmãos e, juntos, resolveram abrir um restaurante para conseguir dar estudo aos filhos e ter uma vida melhor. Saíram do Vale Trentino rumo a Caxias em uma caminhonete Chevrolet Brasil 1962, que os acompanha até hoje e com a qual fizeram milhares de idas e vindas para comprar carne, bebidas, mantimentos e também material para construir o prédio onde atualmente se localiza o estabelecimento. 

Parece roteiro de filme — e daria perfeitamente um —, mas trata-se da história da fundação da Churrascaria Imperador, ícone gastronômico de Caxias do Sul que completa exatos 50 anos neste sábado (5). Já a alcunha de “restaurante familiar”, tão valorizada pela clientela, encaixa-se à perfeição neste caso: Pedro Regalin é irmão de Luiza Rizzi, e Pedro Rizzi, irmão de Terezinha Regalin. Fora isso, a nova geração do Imperador conta com a ajuda dos filhos Rogério Rizzi e Vera Regalin Mutterlle, além do neto Gabriel Regalin Mutterlle.

Ícone da Júlio

Atuantes até hoje, os casais Regalin e Rizzi acompanharam não apenas a evolução da gastronomia local, como ajudaram a moldar a fama da boa mesa caxiense, em especial a do bairro São Pelegrino — mesclando o churrasco aos pratos e sobremesas típicos da culinária italiana.

Você é um morador "raiz" do bairro São Pelegrino? Teste seus conhecimentos

Após três anos atendendo o público no antigo endereço — na Júlio, 3.135, onde hoje situa-se o Restaurante Milano —, os donos deram início à construção do prédio próprio e do novo estabelecimento, a poucos metros dali, no térreo do número 3.107. E a inauguração, em 5 de setembro de 1973, foi pra lá de badalada, com direito a desenlace da fita pelo vice-prefeito Mário David Vanin e bênção do padre Eugênio Giordani, pároco de São Pelegrino. 

São desses primórdios algumas das melhores “histórias de balcão” do Imperador. Durante a Festa da Uva de 1972, por exemplo, o movimento foi “sem parar”: eles começavam a servir às 11h e permaneciam com o restaurante cheio até as 23h.

— Os clientes não deixavam as mesas, pois queriam comer uva. Então Pedro e Pedrinho levaram as caçambas da fruta para a calçada, assim eles liberavam as mesas para poderem entrar outros — conta o neto Pedro.

Leia mais
Bar Danúbio nos anos 1950: sorvetes, bebidas e guloseimas
Bar Danúbio em antigos anúncios publicitários
São Pelegrino: anúncios de outros tempos 

Momento da inauguração do novo espaço da Churrascaria Imperador, em 5 de setembro de 1973. Vê-se o padre Eugênio Giordani, que abençoou o local, o vice-prefeito Mario David Vanin e o empresários e sócio Pedro Regalin (à esquerda) além de convidados e amigos.<!-- NICAID(14584861) -->
Pedro Regalin (E), padre Giordani e Mario Vanin durante a inauguração do novo espaço, em 5 de setembro de 1973Foto: Basilio Scalco,acervo de família / divulgação
Egídio Rizzi e Pedro Regalin na tradicional Churrascaria Imperador, no início dos anos 1970.<!-- NICAID(14584526) -->
Pedro Regalin (D) e o sogro Egídio Rizzi na Churrascaria Imperador, em meados dos anos 1970Foto: Acervo de família / divulgação
Pedro Regalin, um dos fundadores da tradicional Churrascaria Imperador, no início dos anos 1970.  <!-- NICAID(14584524) -->
Pedro Regalin, um dos fundadores da tradicional Churrascaria Imperador, no início dos anos 1970Foto: Acervo de família / divulgação
Momento da inauguração do novo espaço da Churrascaria Imperador, em 5 de setembro de 1973. Vê-se o padre Eugênio Giordani, que abençoou o local, o vice-prefeito Mario David Vanin e os empresários Pedro Regalin e Pedro Rizzi, além de convidados e amigos.<!-- NICAID(14584528) -->
Inauguração do novo espaço da Churrascaria Imperador, em 5 de setembro de 1973. Vê-se o padre Eugênio Giordani, que abençoou o local, o vice-prefeito Mario David Vanin e o empresário Pedro Regalin, além de convidados e amigosFoto: Basílio Scalco,Acervo de família / divulgação

Noivas e holandeses  

Restaurante que se preze tem clientes famosos e episódios pitorescos para contar. 

— Por três vezes, tiveram que “segurar” as noivas no restaurante enquanto os noivos iam buscar o dinheiro para pagar a conta da festa. Alguns diziam que voltariam outro dia para pagar, mas não voltavam. O Imperador foi cenário de centenas de casamentos — conta o neto Pedro.

A casa também já despertou outro tipo de paixão:

— Um grupo de holandeses chegou a fazer camiseta personalizada para homenagear o restaurante quando retornou à cidade. Todos têm muito orgulho de saber que há apreciadores da churrascaria espalhados pelo mundo todo — completa Pedro.

Leia mais
São Pelegrino: uma feira de hortifrutis na Rua Feijó Jr. em 1948
Armazém Zatti, um clássico de São Pelegrino
Praça João Pessoa na década de 1950
Colégio La Salle: uma história de 80 anos

Os sócios Pedro Rizzi (D) e Pedro Regalin (ao centro, de terno e camisa escura) ao lado de clientes e colaboradores na tradicional Churrascaria Imperador, no início dos anos 1970.<!-- NICAID(14584527) -->
Os sócios Pedro Rizzi (D) e Pedro Regalin (ao centro, de terno e camisa escura) ao lado de clientes e colaboradores na tradicional Churrascaria Imperador, no início dos anos 1970Foto: Acervo de família / divulgação
Pedro Rizzi e Luiza Rizzi (à direita) com os funcionários da tradicional Churrascaria Imperador, no início dos anos 1970.<!-- NICAID(14584525) -->
Pedro Rizzi e Luiza Rizzi (à direita) com os funcionários da tradicional Churrascaria Imperador, no início dos anos 1970Foto: Acervo de família / divulgação

Leia mais
O guardião da chave da Igreja São Pelegrino em 1953
São Pelegrino e o novo espaço da Casa de Memória
Memórias de São Pelegrino: do Cine Real às Lojas Brasileiras
São Pelegrino: ontem e hoje
Ferragem Andreazza: uma adega, décadas de histórias 

Superando crises

Em tempos de pandemia, impossível não recordar de outras crises e momentos difíceis pelos quais o Imperador passou. Conforme lembra a família, na época do Plano Cruzado (1986), o restaurante estava sempre lotado, mas faltava cerveja, carne e até sal. 

— Eles tinham que ir em matadouros em Farroupilha para conseguir carne. A tabela da Sunab tinha severa fiscalização — conta o neto Pedro Regalin.

Conforme a família, a pressão foi grande, sempre houve crises, mas nada que tenha demorado tanto, que seja tão difícil quanto a atual pandemia. Um revés que os fundadores, atualmente com mais de 80 anos, esperam novamente superar.

A saber: a casa trabalha atualmente respeitando todos os protocolos de saúde e distanciamento entre mesas, com serviços de rodízio, telentrega e pegue e leve.

Pedro Regalin e Pedro Rizzi, fundadores da Churrascaria Imperador, nos anos 1990.<!-- NICAID(14584530) -->
Pedro Regalin e Pedro Rizzi, fundadores da Churrascaria Imperador, nos anos 1990, antes da remodelação do espaçoFoto: Acervo de família / divulgação
Pedro Regalin e a caminhonete Chevrolet Brasil 1962, que auxiliou a família na época da fundação da Churrascaria Imperador, em 1970.<!-- NICAID(14584529) -->
Pedro Regalin e a caminhonete Chevrolet Brasil 1962, que auxiliou a família na época da fundação da Churrascaria Imperador, em 1970Foto: Acervo de família / divulgação

Leia mais
Inauguração do Super Calcagnotto em 1975
Um bebedouro para animais em São Pelegrino
Os leões de Michelangelo Zambelli no Parque Cinquentenário  
Rua Coronel Flores pavimentada em 1942
Moinho Progresso e um incêndio em 1954
Suzana Postali Fantinel: uma página para recordar do bairro São Pelegrino
Aparício Postali e Giovanni Gronchi em 1958

Confira outras publicações da coluna Memória
Acesse antigos conteúdos do blog Memória  

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros