Caxias registra queda de 8,7% nos acidentes de trabalho no primeiro semestre - Geral - Pioneiro

Versão mobile

 
 

Menor exposição26/09/2020 | 13h24Atualizada em 26/09/2020 | 13h24

Caxias registra queda de 8,7% nos acidentes de trabalho no primeiro semestre

Maior parte dos 1.772 casos do período se concentrou nos três primeiros meses do ano

Caxias registra queda de 8,7% nos acidentes de trabalho no primeiro semestre Roni Rigon/Agencia RBS
Foto: Roni Rigon / Agencia RBS

Se a pandemia causou prejuízos e reduziu a capacidade produtiva de diversos setores da economia, ela também se refletiu em ao menos um dado positivo: a redução de 8,7% no número de acidentes de trabalho em Caxias do Sul. Os dados se referem ao primeiro semestre, em comparação com o mesmo período de 2019.

Leia mais
Quase mil pessoas tiveram acidentes ou doenças relacionadas ao trabalho no primeiro trimestre em Caxias
Mortes em acidentes com máquinas agrícolas aumentam na Serra

Segundo dados do Centro de Referência em Saúde do Trabalhador (Cerest/Serra), a cidade teve 1.772 registros de janeiro a junho, contra 1.941 no ano passado. Do total registrado em 2020, 956 casos, o que representa mais da metade, ocorreram entre janeiro e março, quando praticamente não houve impacto da pandemia. Já o número de mortes foi de ao menos cinco nos primeiros seis meses,

— Temos que considerar a diminuição da atividade produtiva. A questão do home office também faz com que as pessoas fiquem menos expostas — observa Juliana Argenta Calloni, gerente do Cerest/Serra.

Além de acidentes nas dependências ou a serviço das empresas, são considerados acidentes de trabalho situações ocorridas durante os deslocamentos de ida e volta do trabalhador. Como muitas pessoas passaram a trabalhar de casa a partir de março, ficaram menos vulneráveis aos riscos do trânsito. Além disso, eventuais acidentes domésticos ocorridos durante o horário de atuação em home office não entram na conta porque não são considerados acidentes de trabalho.

Em Caxias, o setor que mais gera notificações por acidentes de trabalho é a indústria. Como as fábricas precisaram reduzir o quadro de funcionários em respeito aos diversos protocolos do município e do Estado, as situações de risco também caíram.

— Quanto maior a atividade, maior o risco — aponta Juliana.

Por ser considerado serviço essencial, o Cerest/Serra não paralisou nem reduziu as atividades durante a pandemia. O órgão também atuou junto à Vigilância em Saúde na orientação de empresas para evitar a disseminação do coronavírus.

Leia também
Professores e alunos da UCS se adaptam às atividades presenciais durante a pandemia
O barato de pertencer:  clubes de assinatura unem consumo e estilo de vida para ganhar ainda mais adeptos na pandemia

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros