O incêndio de 1949 na Cooperativa Madeireira Caxiense - Geral - Pioneiro

Versão mobile

 
 

Memória26/08/2020 | 07h00Atualizada em 26/08/2020 | 07h00

O incêndio de 1949 na Cooperativa Madeireira Caxiense

Sinistro atingiu o pavilhão localizado na Rua Vinte de Setembro, onde hoje situa-se o Hipermercado Zaffari

O incêndio de 1949 na Cooperativa Madeireira Caxiense Arquivo Histórico Municipal João Spadari Adami/Divulgação
Bombeiros tentam controlar as chamas que atingiram a fábrica em 3 de outubro de 1949 Foto: Arquivo Histórico Municipal João Spadari Adami / Divulgação

 A publicação da foto aérea destacando o complexo da antiga Cooperativa Madeireira Caxiense, na última segunda-feira, trouxe a lembrança de um episódio marcante da trajetória da empresa. 

Foi o incêndio ocorrido em 3 de outubro de 1949, época em que a cooperativa tinha entre seus diretores os empresários João Turra, Ettore Lazzarotto e David D’Agostini.
Matéria do Pioneiro publicada em 8 de outubro de 1949 destacou:

“Segunda-feira última, mais ou menos às cinco horas da tarde, a população da cidade foi despertada de seu natural automatismo com a notícia de que irrompera violento incêndio numa das dependências da Cooperativa Madeireira Caxiense Ltda. Tal notícias correu célere pela cidade e, em poucos minutos, grande era a aglomeração de pessoas que postava-se defronte ao local do sinistro, assistindo ao espetáculo “belo-horrível” proporcionado pela altura das chamas que se desprendiam do edifício”.

Conforme destacado na reportagem, o fogo teve início na casa das máquinas, propagando-se rapidamente para as seções onde eram fabricadas aduelas e caixas de madeira. Não houve vítimas, segundo a matéria.

“A maquinaria ficou completamente destruída, e os prejuízos sobem a mais de Cr$ 1.500.000, sendo que os seguros da firma, da parte sinistrada, não vão além de Cr$ 800 mil.”

Na foto que abre a matéria, um dos únicos registros do incêndio de 1949, integrante do acervo do Arquivo Histórico Municipal João Spadari Adami. Você possui alguma outra imagem daquele dia ou do pavilhão após o incêndio? Envie juntamente com suas lembranças para o e-mail rodrigolopes33@gmail.com.

Abaixo, a matéria no Pioneiro de 8 de outubro de 1949.

Em 1950 

Menos de seis meses depois, outro incêndio atingiria o terreno da Cooperativa Madeireira Caxiense. Foi às vésperas do encerramento da Festa da Uva de 1950, naquele ano realizada em um dos pavilhões da empresa, na Rua Vinte de Setembro, entre a Marquês do Herval e a Borges de Medeiros (atual Zaffari).

Leia mais
Festa da Uva: um parque e um incêndio em 1950
Chaminés: as sobreviventes das alturas
A antiga sede do Corpo de Bombeiros em São Pelegrino

O sinistro deu-se na madrugada de 17 de março de 1950 e foi causado possivelmente pela explosão de um fogão. As chamas consumiram todo o Palácio de Festas, junto ao recinto da Exposição Agro-Industrial, além de uma relíquia exposta no parque: o Duque de Caxias, primeiro avião de treinamento doado ao Aeroclube pela Campanha Nacional da Aviação, lançada pelo governo de Getúlio Vargas em 1941.

Leia mais
O reinado da Festa Nacional da Uva de 1950
Painel "Alegoria Primeira ao Imigrante" na Festa da Uva de 1950
Metalúrgica Gazola homenageia pracinhas na Festa da Uva de 1950
Irmãos Pisani: o incêndio na fábrica de marmeladas em 1948
Centenário da Ferragem Andreazza: o incêndio de 1948
O incêndio da Ferragem Caxiense em 1952
O incêndio na firma Guerino Sanvitto & Cia em 1952
Moinho Progresso e um incêndio em 1954 

Confira outras publicações da coluna Memória
Leia antigos conteúdos do blog Memória  

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros