A formiguinha do Edifício "Caixa de Fósforo" - Geral - Pioneiro

Versão mobile

 
 

Memória05/08/2020 | 07h40Atualizada em 05/08/2020 | 15h53

A formiguinha do Edifício "Caixa de Fósforo"

Quem lembra dela?

A formiguinha do Edifício "Caixa de Fósforo" Acervo pessoal de Valdir Kaiser/divulgação
O Edifício Caixa de Fósforo e a clássica pintura da operadora de crédito Fin-hab, com a formiguinha em destaque Foto: Acervo pessoal de Valdir Kaiser / divulgação

Os arredores da Praça Dante Alighieri já tiveram um atrativo para o público infantil bem diferente do parquinho e dos balanços do antigo calçadão. Quem foi criança no final dos anos 1970 até meados dos 1980 lembra dela: a formiguinha da caderneta de poupança Fin-hab. A enorme pintura abrangia as duas laterais do Condomínio Galeria Auto João Muratore, o popular Caixa de Fósforo, na Av. Júlio, bem defronte à praça.

Embora a publicidade não fosse direcionada aos pequenos, são eles os que mais lembram do desenho. A pintura, acompanhando aquela estética psicodélica e super colorida de 45 anos atrás, trazia, além da formiga regando um jardim florido, nuvens e o desenho do sol próximo ao último andar do prédio.

Ah, sim: além de influenciadas pela pintura, as crianças eram “iniciadas” na arte da poupança com um cofrinho no formato da formiga. Ele era distribuído aos clientes da operadora de crédito Fin-hab.

Edifício Caixa de Fósforo, com a clássica propaganda da caderneta de poupança fin-hab, com a formiguinha, nos anos 1970 e 1980.<!-- NICAID(10856574) -->
O Edifício Caixa de Fósforo e a clássica pintura da operadora de crédito Fin-hab, com a formiguinha em destaqueFoto: Acervo pessoal de Valdir Kaiser / divulgação

 O prédio

Ícone da área central, o Caixa de Fósforo foi o primeiro arranha-céu de Caxias. O edifício começou a ser construído em 1958 e foi entregue aos primeiros moradores em 1962. Obra do empreendedor Auto João Muratore (daí o nome), o “gigante” de 15 pavimentos chegava com 29 apartamentos, dois elevadores, duas sobrelojas e duas lojas térreas, além de uma galeria que se estendia apenas até a metade da quadra.

À época da construção, várias piadas envolveram o local. Desde o formato, lembrando uma caixa de fósforos, até a  altura. Numa época em que a rixa entre cidades vizinhas era mais acirrada, costumava-se dizer que o prédio fazia sombra em Bento Gonçalves. 

Parte das informações e fotos desta página foram publicadas originalmente na coluna de 26 de setembro de 2014.  

Leia também
Caxias do Sul de antigamente em cartões-postais

Curiosidades

 CAXIAS DO SUL, RS, BRASIL, 19/06/2012. João Miguel Muratore e Lorena Muratore. Antigos moradores e herdeiros do Condomínio Galeria Auto João Muratore, mais conhecido como Caixa de Fósforos.  (FOTO: MAICON DAMASCENO/PIONEIRO)<!-- NICAID(8339777) -->
A então Praça Rui Barbosa no final dos anos 1970, quando o calçadão começava a surgir. Desenho na lateral do prédio chamava a atenção de longe Foto: Reprodução / Agencia RBS

:: Quando foi inaugurado, em meados de 1962, o prédio era o mais alto do entorno da praça e de toda a Caxias. A hegemonia acabou no final daquela década, quando começaram a ser erguidos outros exemplares com o conceito de arranha-céu: os edifícios Solaris (na esquina da Júlio com a Dr. Montaury), o Guadalupe (na Montaury, entre a Sinimbu e a Os Dezoito do Forte) e os vizinhos Dona Ercília e Marina (na Marquês, entre Sinimbu e Dezoito). O Parque do Sol só seria entregue na metade dos anos 1970.

:: Devido à altura, o terraço era ocupado inicialmente por moradores para tomar banho de sol ou conferir a vista de 360° da cidade. Hoje, o local é alugado para empresas de telefonia.

Leia também
Diretoria de Fomento e Assistência Rural na Festa da Uva de 1950
Anúncios da Indústria Caxiense de Molduras nos anos 1950
Um arrabalde visto das alturas nos anos 1970

>
 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros