Estragos no bairro São Francisco, em Vacaria, resumem a passagem do ciclone pela região - Geral - Pioneiro

Versão mobile

 
 

Clima01/07/2020 | 21h05Atualizada em 01/07/2020 | 21h06

Estragos no bairro São Francisco, em Vacaria, resumem a passagem do ciclone pela região

Em um quarteirão foi possível identificar diversas moradias destelhadas em município dos Campos de Cima da Serra

Estragos no bairro São Francisco, em Vacaria, resumem a passagem do ciclone pela região Marcelo Casagrande/Agencia RBS
Solidariedade e muito trabalho para consertar casas destelhadas no bairro São Francisco Foto: Marcelo Casagrande / Agencia RBS

Em entrevista à Rádio Gaúcha, quarta-feira (1 de julho), Sirlei Castagna, coordenadora da Defesa Civil de Vacaria, contabilizava 130 residências destelhadas parcialmente, e casas que vieram abaixo, além do cenário típico de um ciclone, com postes e árvores caídas. Desde a terça-feira (30 de junho) à tarde, um mutirão, contando com a participação de voluntários, Brigada Militar, Guarda Municipal, Bombeiros e diversas equipes da prefeitura têm trabalhado para reconstruir Vacaria.

Leia ainda
Capão Bonito do Sul decreta situação de emergência
Ciclone deixa rastro de destruição em Muitos Capões 
"Fico em pânico quando vejo a água subindo", conta moradora sobre cheia do Rio Caí
Temporal provoca quedas de árvores em residências de Canela
Vendaval causa destelhamento e falta de energia elétrica em casas de Arroio do Sal

A velocidade dos ventos chegou a 100 km/h e deixou um rastro de destruição em vários pontos da cidade. Entre eles, um dos mais atingidos foi o Bairro São Francisco.

— A cidade estava toda em pânico porque os ventos vieram derrubando placas, sinaleiras, postes, enfim, fazendo uma varredura na cidade. Em um primeiro momento, fornecemos lonas e começamos a receber doações de telhas. Estamos encaminhando documentação ao governo do Estado solicitando telhas para recolocar nas casas. Na medida do possível, vamos tentar organizar a cidade — explicou Sirlei Castagna.

 VACARIA, RS, BRASIL, 30/06/2020 - Ventos de 90 Km por hora causa destruição em Vacaria e Muitos Capões. Queda de árvores, destelhamento de casas, e árvores que caíram em residências. (Marcelo Casagrande/Agência RBS)<!-- NICAID(14535491) -->
Ciclone lançou carroceria de caminhão para o outro lado da ruaFoto: Marcelo Casagrande / Agencia RBS

Espanto nas ruas
Em um mesmo quarteirão, no bairro São Francisco, a cena que se viu na quarta-feira (1 de julho), menos de 24 horas após o ciclone, ainda era de causar espanto. Uma carroceria de caminhão baú tombou com a força do vento. Logo à frente, um senhor aposentado, que mora sozinho, ainda estava preocupado porque não conseguia mensurar o real estrago em casa.

— De uma hora para outra começou o vento e já foi entrando chuva dentro de casa, com mais força bem onde fica o meu quarto, porque perdi parte do telhado — revela Francisco Paulo de Souza, 54, que mora na residência desde 2010 e jamais havia visto um fenômeno nessa intensidade.

VACARIA, RS, BRASIL, 30/06/2020 - Ventos de 90 Km por hora causa destruição em Vacaria e Muitos Capões. Queda de árvores, destelhamento de casas, e árvores que caíram em residências. NA FOTO: Casa em que vivem 14 haitianos, recém chegados a Vacaria. Dos três apartamentos, em dois está sem telha. E em um deles, entra água pelo forro. (Marcelo Casagrande/Agência RBS)<!-- NICAID(14535498) -->
Em residência alugada por haitianos grande parte do telhado e forro foi destroçadoFoto: Marcelo Casagrande / Agencia RBS

Na esquina a seguir, na Rua Abolição, moram cerca de 14 haitianos recém chegados a Vacaria. A casa construída como se fossem apartamentos, no primeiro andar de uma edificação germinada, está com o telhado parcialmente destruído. Os poucos móveis e roupas foram colocados no primeiro apartamento, divididos em dois cômodos, onde todos estão tentando se acomodar.

O mesmo sentimento de tristeza e frustração dos haitianos é compartilhado por Adriana Aparecida Pinheiro da Cruz, 42, também moradora do bairro São Francisco.

— Eu perdi quase tudo. Quando começou a chuva e o vento forte eu estava deitada em casa, sozinha. Chovia por tudo dentro de casa. O que restou foi a geladeira e a cozinha — diz, olhando para a área onde ficava o quarto, irreconhecível.

VACARIA, RS, BRASIL, 30/06/2020 - Ventos de 90 Km por hora causa destruição em Vacaria e Muitos Capões. Queda de árvores, destelhamento de casas, e árvores que caíram em residências. NA FOTO: Adriana Aparecida Pinheiro da Cruz, 42 anos, aposentada.  (Marcelo Casagrande/Agência RBS)<!-- NICAID(14535510) -->
Adriana Aparecida perdeu até os remédios controlados que faz uso por causa da depressão e da crise de pânicoFoto: Marcelo Casagrande / Agencia RBS

— É triste perder o pouco que temos. Não é fácil. Perdi até os meus remédios que tomo por causa da depressão e da crise de ansiedade.

Como salvaguarda, enquanto não consegue dar um jeito de recolocar as telhas arrancadas pela força do vento, Adriana contou com a ajuda da filha e do genro para colocar uma lona provisória, ainda na terça-feira, quando chovia forte. Na tarde de ontem, Adriana, com a ajuda de outros familiares, retirava o pouco que restou para guardar na casa da mãe, onde deve ficar até consertar a moradia.

Confira galeria de imagens com cenas de como está a situação do bairro São Francisco, em Vacaria

Leia também
Rio Caí sobe e 16 famílias são retiradas de casa em São Sebastião 
RS-448, em Farroupilha, terá emergência decretada para acelerar recuperação da pista
Vigilância Sanitária interdita supermercado no Centro de Caxias do Sul

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
Imprimir
clicRBS
Nova busca - outros