Caxias do Sul ganhou 45 leitos de UTI durante a pandemia    - Geral - Pioneiro

Versão mobile

 
 

Ampliação 24/07/2020 | 11h25Atualizada em 27/07/2020 | 18h58

Caxias do Sul ganhou 45 leitos de UTI durante a pandemia   

Isolamento social precoce proporcionou tempo ao poder público para abrir vagas evitando colapso, segundo médica infectologista 

Caxias do Sul ganhou 45 leitos de UTI durante a pandemia    Porthus Junior/Agencia RBS
Foto: Porthus Junior / Agencia RBS

A taxa de ocupação dos leitos em Caxias passa dos  84% nesta sexta-feira (24). Se o índice já pode ser considerado alto, o cenário poderia ser ainda mais preocupante caso o município não tivesse aberto 45 novos leitos de UTI de março até agora. Pelo SUS, os pacientes contavam com 34 leitos de UTI entre março e abril, período em que a pandemia não estava tão disseminada. Nesta sexta-feira, o número de vagas em internação de cuidados intensivos é de 65 - são 31 espaços a mais. Em relação aos leitos da rede privada, eram 66 há cerca de três meses e, atualmente, são 80. Os dados, da Secretaria Municipal da Saúde, apontam que Caxias ampliou as 100 vagas existentes em março para 145 até 24 de julho, no auge do inverno.

— Nosso planejamento é de efetivar ampliações de vagas quando a taxa de ocupação atingir de 80% a 85% por mais de uma semana — diz o secretário da Saúde, Jorge Olavo Hahn Castro ao informar que outros oito leitos serão abertos pelo SUS no Hospital Virvi Ramos na próxima semana, em dia a ser definido.

No Pompeia, há outros sete leitos de cuidados intermediários, setor considerado específico para cuidados semi-intensivos. Os leitos do SUS são custeados integralmente pelo município até que sejam habilitados pelo Ministério da Saúde e Governo do Estado – quando a conta passa a ser dividida. Conforme o secretário de Saúde, o valor pago totalmente pela prefeitura gira torno de R$ 2,7 mil a R$ 2,9 mil mensais para cada leito. Do total do SUS, 21 ainda faltam ser habilitados.  

O sistema poderia ter entrado em colapso 

Na análise da médica infectologista Andrea Dal Bó, se o número de leitos não tivesse sido ampliado durante esses meses, o sistema de saúde já estaria em colapso

- Foram várias ações que evitaram, como o isolamento social precoce, que nos proporcionou ganhar tempo para abertura de leitos. E, sim, se não houvesse a ampliação provavelmente teríamos um colapso agora no inverno - afirma. 

A médica explica que a taxa de ocupação de leitos normalmente já se aproxima dos 100% apenas por ser inverno. 

- Estamos no pico. A previsão é que diminua no final de agosto (o contágio). Entendemos que da metade (de agosto) em diante é possível que diminua o número de casos e haja leitos suficientes. Mas, até lá, precisaremos avaliar cada situação - diz. 

Leitos clínicos 

Além da necessidade de estrutura para receber pacientes em estado grave em UTIs, os hospitais precisam ampliar os leitos clínicos para os pacientes que apresentam suspeita de infecção pelo vírus ou são confirmados por testes de coronavírus, mas não atingiram o estado grave da doença. 

Pensando nisso, o Hospital Virvi Ramos abriu 49 leitos clínicos em uma ala especial para covid-19, o chamado Hospital de Campanha. No Círculo, um setor de 13 leitos foi ativado para receber pacientes com coronavírus já no início da pandemia. A ala era utilizada apenas no inverno, quando a procura por doentes com doenças relacionadas à estação do ano, aumenta. Já, no Pompéia, 15 leitos clínicos foram remanejados para atendimento de covid. Os outros hospitais efetuam o atendimento clínico para coronavírus conforme a necessidade. 

Os hospitais de Caxias atendem a 49 municípios da região. Se Caxias conseguir passar pela pandemia somada ao inverno sem colapso do sistema até o final de agosto, as chances de desequilíbrio da capacidade passarão a ser pequenas. 

Onde estão os leitos de UTI destinados à covid em Caxias 

SUS 

:: Entre final de março e início de abril, a rede mantinha 34 vagas de UTI, sendo 20 no Hospital Pompéia, 10 no Hospital Geral e quatro no Hospital Virvi Ramos. 

:: Atualmente, são 65 vagas, sendo 27 no Pompéia, 28 no Hospital Geral, nove no Virvi Ramos e uma no Hospital do Círculo, conforme dados da Secretaria de Saúde. 

REDE PRIVADA 

:: No início da pandemia, 20 leitos estavam disponíveis no Hospital da Unimed, outros 20 no Círculo, 10 no Hospital Saúde e seis no Virvi Ramos, além de 10 leitos particulares no Pompéia.  

Atualmente, são 30 na Unimed, 21 no Círculo, 10 no Saúde e nove no Virvi - além dos 10 do Pompéia, onde há, ainda, sete leitos de cuidados intermediários utilizados, geralmente, para acolher pacientes que têm alta da UTI. Os números levam em conta quatro leitos abertos recentemente entre Virvi e Unimed. 

Leia também
Surto ativo em casa asilar de Bento Gonçalves é associado a 20 casos confirmados e duas mortes por covid-19

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros