Após quatro meses de pandemia, prefeitura de Caxias adquire termômetros infravermelhos para unidades de saúde - Geral - Pioneiro

Vers?o mobile

 
 

Combate à covid-1909/07/2020 | 14h22Atualizada em 09/07/2020 | 14h22

Após quatro meses de pandemia, prefeitura de Caxias adquire termômetros infravermelhos para unidades de saúde

Município estava com dificuldade de encontrar aparelhos no mercado

Após quatro meses de pandemia, prefeitura de Caxias adquire termômetros infravermelhos para unidades de saúde Isadora Neumann / GaúchaZH/GaúchaZH
Foto: Isadora Neumann / GaúchaZH / GaúchaZH

Quatro meses após o início da pandemia de coronavírus a Secretaria da Saúde de Caxias do Sul encaminhou a compra de 172 termômetros infravermelhos para as unidades de saúde do município. O equipamento se popularizou porque a temperatura pode ser medida sem que haja contato com paciente. O edital de dispensa de licitação foi publicado no último dia 30 e a empresa fornecedora será conhecida nesta sexta-feira (10).

Os dispositivos serão distribuídos entre as 50 unidades básicas de saúde (UBS) do município, além do Centro Especializado em Saúde (CES) e outros setores da prefeitura, como secretarias. Atualmente, nas UBSs, a medição de temperatura é realizada com termômetros convencionais, que precisam ser desinfetados após cada utilização.

De acordo com do diretor-geral da secretaria, Mário Taddeucci, a compra ocorre somente agora porque os termômetros estavam em falta no mercado, além de estarem mais caros.

— O valor era muito alto e quando se conseguia era importando diretamente da China. Desde março estamos atrás — explica.

A distribuição dos dispositivos vai ser definida após a entrega, que precisa ocorrer em até 15 dias após o município emitir a garantia de pagamento. A intenção é que UBSs de maior fluxo recebam pelo menos dois dispositivos. Conforme Taddeucci, são os responsáveis técnicos de cada unidade que definirão se os termômetros serão utilizados no controle de acesso dos pacientes ou dentro dos consultórios. As unidades de pronto atendimento (UPAs) não estão contempladas porque contam com gestão compartilhada e a compra fica a cargo dos administradores. O valor a ser desembolsado pelo município depende das propostas das fornecedoras interessadas.

Testes rápidos

Outra compra encaminhada pela Secretaria da Saúde é de mil testes rápidos para serem aplicados em pacientes que procurarem atendimento com sintomas de covid-19. O lote foi entregue há cerca de duas semanas e custou R$ 99,5 mil.

O município já havia adquirido outros mil testes, ao custo de R$ 109 mil, mas foram reprovados em análise do Hemocentro Regional. Agora, segundo Taddeucci, o município tenta devolver o material, já que o valor ainda não foi pago.

Ao longo da pandemia o Ministério da Saúde também encaminhou oito mil testes rápidos a Caxias, dos quais ainda há uma parte em estoque. A distribuição dos exames é realizada pela Vigilância Epidemiológica.

Leia também
Sindigêneros espera para esta quinta decreto para reabertura de mercados aos domingos em Caxias
Funcionários do comércio essencial serão testados para o coronavírus em Flores da Cunha
Novas críticas à falta de debate de projetos do Executivo pela Câmara de Caxias 

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros